Este artigo é da responsabilidade da UCI

O simulador de crédito habitação pode ser o seu maior aliado quando precisar de avançar com um processo de crédito habitação.

Basta perceber que informações são mais importantes para poder comparar diferentes propostas e escolher a opção que é mais vantajosa para si. E para tornar tudo mais fácil, vamos explicar-lhe 3 pontos que deve ter em conta ao analisar simulações de crédito habitação para escolher a melhor proposta.

  1. Não decida apenas com base no spread
    Muitas pessoas pensam que estão a entrar no crédito habitação com o pé direito quando decidem que vão escolher a proposta de crédito habitação com o spread mais baixo, porque pensam que o spread representa os custos do crédito habitação. É certo que o spread representa a margem aplicada pela entidade financeira para conceder um determinado montante de empréstimo, mas a verdade é que é apenas um dos custos do crédito habitação. Se fosse tudo assim tão linear, as simulações de crédito habitação não precisavam de ter tantas páginas.
  2. Compare o MTIC e a TAEG
    Uma boa solução para ter uma visão mais global dos custos associados quando recorre a diferentes simuladores de crédito habitação é comparar o MTIC e a TAEG.
  • MTIC significa Montante Total Imputado ao Consumidor e reflete o custo total que o empréstimo terá para si, incluindo, para além do valor do empréstimo, o impacto dos juros e dos custos associados. Este valor permite-lhe ter uma imagem realista do custo total do crédito habitação se cumprido o prazo de financiamento acordado.
  • TAEG quer dizer Taxa Anual de Encargos Efectiva Global e também engloba os diferentes custos do crédito habitação, sejam comissões (comissão de abertura, comissão de formalização, comissão de avaliação, comissão de processamento da prestação, por exemplo), despesas (Imposto de Selo sobre o mútuo, despesas com registos ou serviço Casa Pronta, honorários do serviço de solicitadoria) ou seguros (seguro multirriscos do imóvel, que é obrigatório por lei, e frequentemente também o seguro de vida).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O MTIC e a TAEG são por isso melhores opções do que o spread para comparar diferentes simulações de crédito habitação e escolher a opção economicamente mais vantajosa para si.

3. Analise as vendas associadas facultativas

Algumas simulações de crédito habitação contemplam vendas associadas que muitas vezes são utilizadas como uma forma de baixar o spread (é a diferença entre um spread base e um spread contratado). Mas há 2 coisas que deve ter noção:

1. Esses produtos podem ter custos associados, portanto, apesar de estar a pagar menos de spread, isso não significa necessariamente que aquela proposta vai ter menores custos. O que só reforça a importância de olhar para o MTIC e a TAEG nas diferentes simulações de crédito habitação.

2. Ao aceitar um spread contratado está a concordar em fazer depender o valor do spread de produtos contratados. O que quer dizer que se em algum momento quiser ou tiver de desistir ou cancelar um desses produtos, o spread passará para o valor base, que geralmente é mais alto que o spread contratado.

É por isso fundamental que reflita bem sobre as vendas associadas e que analise se merecem o esforço, sob pena de depois querer mudar de ideias e já não poder. E se não tiver qualquer interesse em vendas associadas lembre-se que existem soluções de crédito habitação, como por exemplo da UCI, que não associa produtos extra ao crédito habitação, focando-se apenas no essencial.

Tenha estes conselhos em mente quando recorrer a um simulador de crédito habitação e será muito mais fácil perceber os prós e contras de cada simulação, permitindo-lhe tomar uma decisão mais informada.

Quer saber mais? Faça a sua simulação num simulador de crédito habitação UCI.