“Nunca, jamais.” Assertivo, o presidente do governo de Espanha, Pedro Sánchez, apresentou-se esta quarta-feira perante o congresso espanhol para justificar os indultos aos líderes independentistas catalães e assegurou que não vai permitir a realização de um referendo na Catalunha.

“Não haverá referendo de autodeterminação, a não ser que os independentistas consigam convencer três quintos desta Câmara”, atirou Sánchez, citado pelo El País, referindo que o seu partido nunca permitirá que o congresso aprove um referendo. “O PSOE jamais o aceitará”, reiterou.

O presidente do governo de Espanha compareceu perante o congresso uma semana depois de nove líderes catalães, entre eles o antigo vice-presidente da Generalitat Oriol Junqueras, terem saído da prisão, isto depois de os indultos terem sido aprovados em Conselho de Ministros no dia anterior, 22 de junho.

Governo espanhol aprova indultos a líderes independentistas catalães. “É o momento de voltar à política, de virar a página”, diz Sánchez

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.