O bicampeão olímpico de ténis, o britânico Andy Murray, renunciou este domingo, devido a uma lesão na anca, ao torneio de singulares de Tóquio 2020, no qual se devia estrear diante do canadiano Felix Auger-Aliassime.

“Estou muito dececionado por ter de me retirar, mas a equipa médica desaconselhou-me a competir nos dois eventos, por isso tomei a difícil decisão de desistir de singulares e focar-me apenas em pares, com o Joe [Salisbury]”, justificou o atual 104.º do ranking mundial.

O tenista de 34 anos, que é bicampeão olímpico em título de singulares masculinos, depois de vencer o ouro em Londres 2012 e no Rio 2016, tem uma lesão crónica na anca, tendo já sido submetido a várias cirurgias.

Na capital inglesa, Murray venceu na final o suíço Roger Federer, por 6-2, 6-1 e 6-4, e no Rio de Janeiro derrotou o argentino Juan Martin Del Potro em quatro sets, por 7-5, 4-6, 6-2 e 7-5, tornando-se no primeiro bicampeão olímpico do ténis.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No torneio de ténis de Tóquio 2020, Portugal ainda tem em competição João Sousa na variante de singulares, com o tenista vimaranense (137.º) a defrontar este domingo o checo Tomas Machac (145.º), em encontro da primeira ronda.

No sábado, Pedro Sousa (120.º) foi eliminado pelo espanhol Alejandro Davidovich Fokina (35.º) por 6-3 e 6-0, e, pouco depois, perdeu também na variante de pares, em que fazia dupla com João Sousa.