Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O cenário não era propriamente o melhor: nenhuma vitória nesta edição de regresso à Liga dos Campeões, nenhuma vitória em quatro encontros realizados na Turquia, apenas um golo marcado (consentido, muito consentido) e seis sofridos, zero margem de risco para defrontar o Besiktas. No final, o cenário dificilmente poderia ser melhor: primeiro triunfo na Champions, primeiro triunfo em solo turco, uma goleada com três golos apontados logo nos 45 minutos iniciais. O Sporting conseguiu a sua emancipação na principal prova europeia de clubes e também Rúben Amorim conseguiu o seu primeiro sucesso como treinador.

El Comandante e o general mostraram a Arte da Guerra (a crónica do Besiktas-Sporting)

Num encontro que marcou a estreia de Pedro Gonçalves na Champions, fazendo quase 90 minutos depois da ausência por lesão durante mais de um mês, Coates foi a figura tornando-se o primeiro central uruguaio a bisar numa partida da Liga milionária, Pablo Sarabia apontou o primeiro golo pelos leões quebrando um jejum de dois anos na competição e Paulinho voltou também aos remates certeiros depois de duas bolas nos ferros na segunda parte. Com tudo isso, a vitória manteve o conjunto verde e branco na luta por uma das duas posições que dão acesso aos oitavos da Liga dos Campeões e mereceu exibição de gala.

Deixando de fora vitórias folgadas conseguidas ainda na Taça dos Clubes Campeões Europeus, como com os modestos Shelbourne ou o Floriana, o Sporting alcançou aquela que passa a ser a maior vitória na Liga dos Campeões, com o pormenor de coincidir com o primeiro encontro em que conseguiu marcar quatro golos na condição de visitante, algo que acontecera apenas com o Schalke 04 mas em casa. E foi por aí que Rúben Amorim comentou a goleada, destacando a forma como a equipa chegou aos golos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Os jogadores e a equipa técnica venceram este jogo, resolvemos com bola parada. Dois golos da mesma maneira, depois o penálti onde também é o Coates a cabecear… As bolas são bem metidas e as situações bem trabalhadas. Se acontece uma vez pode ser sorte, se acontece duas vezes tem de ser dar mérito ao trabalho. Mérito ao Carlos [Fernandes], Adélio [Cândido] e Emanuel [Ferro] e aos jogadores, hoje eles desbloquearam o jogo”, assumiu o treinador leonino na conferência de imprensa após o encontro.

Penálti? Fui eu que mandei o Porro. Disse que era o Pote [saiu lesionado naquele momento] a bater porque queria mudar o lado, eles tinham reparado que o Porro tinha marcado dois penáltis, o que não quer dizer que marcasse sempre para o mesmo, não estava confortável e eles resolveram. Se falharem pode haver problema, se não nem me lembro quem marcou. Decidiram dentro de campo e para mim está bem decidido, desde que seja golo”, explicou.

“Sabíamos que era muito difícil e foi. Tivemos várias oportunidades mas os primeiros 15 minutos foram do Besiktas. O golo do Coates mudou-nos o jogo. Isso acontece em vários encontros, como com o Ajax, em que entrámos a perder. As situações de jogo mudam a dinâmica de um jogo. Fomos competentes no plano defensivo. Aprendemos com os jogos para não nos deixarmos enganar. Aquele 2-3 foi anulado, isso foi importante ir para intervalo a vencer por dois golos”, tinha comentado antes na flash interview da Eleven Sports, recordando o lance anulado a Alex Teixeira. “Só a partir do quarto golo senti que o jogo estava decidido. Estávamos a falhar oportunidades, se o Besiktas fizesse o 3-2 aos 90’…”, acrescentou.

“Foi mais uma noite à Sporting. Foi um jogo de toda a equipa e estamos todos de parabéns. Foi um jogo complicado, num ambiente bastante difícil, mas conseguimos a vitória, que era o queríamos. Dois golos iguais de canto? É trabalho do mister, do Carlos [Fernandes], do Adélio [Cândido] e do Emanuel [Ferro], o trabalho de todos. Preparamos sempre os jogos da mesma maneira, por vezes sai, por vezes não, mas conseguimos a vitória que era o que vínhamos buscar. Defesa? Ainda acho que podemos fazer melhor. Na defesa e no ataque também, temos muitas oportunidades e quem sabe não conseguimos fazer mais. Mas é uma boa vitória para todos e para a equipa”, resumiu Coates nas entrevistas rápidas da Eleven Sports.