A Câmara das Caldas da Rainha, o Politécnico de Leiria (IPL) e o Instituto de Bolsas de Moçambique assinam, no sábado, um protocolo que visa atribuir apoios aos alunos moçambicanos que ingressem em cursos Técnicos Superiores Profissionais do IPL.

O protocolo prevê a atribuição de “apoio ao nível do alojamento para os estudantes e a redução de propina e emolumentos”, informou esta sexta-feira o Instituto Politécnico de Leiria (IPL), entidade que formaliza, no sábado, o acordo com a Câmara das Caldas da Rainha e o Instituto de Bolsas de Estudo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Moçambique.

O Instituto “atribui bolsas de estudo aos estudantes, de modo a cobrir as despesas de deslocação a Portugal e as despesas com propinas, alimentação e vivência em contexto académico, durante o período da duração normal dos cursos frequentados, podendo eventualmente ser prolongados por um ano letivo adicional”, de acordo com a informação disponibilizada pelo IPL à agência Lusa.

Os apoios são destinados aos alunos que ingressem, através do concurso especial de acesso e ingresso para estudantes internacionais, nos cursos Técnicos Superiores Profissionais ministrados pelo IPL, que nas Caldas da Rainha detém a Escola Superior de Arte e Design (ESAD.CR).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O protocolo estabelece que compete ao Instituto de Bolsas de Estudo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Moçambique selecionar os estudantes a contemplar com as bolsas e ao Politécnico de Leiria verificar a satisfação das condições de ingresso e seriar os estudantes candidatos.

O acordo é celebrado pelo período de dois anos letivos e aplica-se aos estudantes cujo ingresso no Politécnico de Leiria ocorra já no ano letivo de 2021/2022.