Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O assistente de realização Dave Halls é o nome que está agora debaixo de fogo no caso do disparo acidental no set de filmagens de “Rust”, onde o ator Alec Baldwin acabou por tirar a vida a Halyna Hutchins, diretora de fotografia. Segundo relatos feitos por uma fabricante de adereços à NBC News, Halls já tinha historial de proporcionar situações inseguras em sets durante outras produções.

“No início, parecia ser um assistente de realização mais velho e afável com a habitual série de idiossincrasias, mas essa fachada desapareceu logo”, conta Maggie Goll à NBC. A responsável por fabricar adereços para filmes já tinha trabalhado com Dave Halls na série de antologia “Into the Dark” da Hulu, em fevereiro de 2019.

Este sábado, ficou a saber-se, segundo um documento judicial obtido pela CNN, de que um depoimento das audições judiciais levadas a cabo sugeriam que David Halls teria entregue a arma ao ator Alec Baldwin gritando “cold gun” — o que significa que a arma em questão não tem balas e pode ser utilizada. De acordo com esse depoimento, a arma de fogo entregue ao ator era uma de três disponíveis. O mesmo depoimento refere que o assistente de realização não saberia que a arma continha balas, daí ter gritado “cold gun”.

Ainda assim, apesar de se pressupor que uma “cold gun” não terá balas, a verificação deve ser sempre efetuada para evitar acidentes trágicos como o que vitimou a diretora de fotografia e feriu o realizador.

Houve dois disparos acidentais dias antes do acidente fatal de Alec Baldwin. Arma seria uma “cold gun” e não estaria carregada

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Ele não manteve um ambiente de trabalho seguro”, disse Goll. “Era quase sempre permitido que os sets de rodagem se tornassem cada vez mais claustrofóbicos, nenhum caminho corta-fogo, as saídas bloqueadas… as reuniões de segurança eram inexistentes.”

Goll, que é experiente em efeitos especiais e pirotécnicos, conta ainda que uma vez, no set de “Into the Dark”, Dave Halls tentou continuar a filmar uma cena mesmo depois de um pirotécnico de serviço ter sofrido uma emergência médica e de o set se ter tornado inseguro.

“Não há absolutamente nenhuma razão para que a segurança das armas seja ignorada no cenário, mesmo quando se trata de uma arma de fogo de adereço”, disse ainda Maggie Goll.

A especialista em adereços faz saber ainda que no set de “Into the Dark”, o assistente de realização negligenciou as reuniões de segurança ou até mesmo o anúncio à equipa de que estaria no set uma arma de fogo. “A única razão pela qual a equipa foi alertada para a presença de uma arma foi porque o assistente de adereços exigiu que Dave reconhecesse e anunciasse a situação todos os dias”, disse.

No set de filmagens de “Rust”, antes do acidente fatal, já se teriam registado outros dois disparos acidentais e que motivaram uma queixa ao supervisor da equipa. A informação veio por parte de antigos membros da equipa do filme que além desses dois dois incidentes, se queixavam sobre as práticas de segurança durante as filmagens, más condições de trabalho e sobre não remuneração.

Da Ucrânia para Hollywood: Halyna Hutchins, a diretora de fotografia cuja vida e carreira promissora acabaram com um tiro acidental

A arma que Alec Baldwin usou teria, alegadamente, balas de pólvora seca, apesar de tal informação não ter sido ainda confirmada pelas autoridades que estão a investigar o sucedido.

Gravação da chamada de socorro divulgada

O momento de pânico que se seguiu ao disparo acidental levou a uma chamada imediata para as unidades de emergência (911). “Precisamos de ajuda imediatamente”, disse Mamie Mitchell, uma supervisora da equipa que ligou para pedir ajuda, segundo a chamada de emergência que foi divulgada citada pelo Independent.

“Precisamos de uma ambulância no Rancho Bonanza Creek agora mesmo”, apelou. “Temos duas pessoas feridas acidentalmente num set de filmagens”. O áudio da chamada demonstra a confusão e a angústia no set naquele momento.

Do outro lado do telefone surge a pergunta: “Estava carregada com uma bala verdadeira?”. Mitchell responde que não tem a certeza. Durante a chamada é possível ouvir algumas conversas cruzadas de quem estava a ligar com outros membros da equipa. “É suposto ele verificar as armas”, diz Mitchell sem nomear a pessoa. “Ele é responsável pelo que aconteceu”.

Assim que a arma disparou, “todos nós fugimos”, referiu ainda.