A ideia de que Bill Gates sugeriu “a redução da população através de vacinação forçada” voltou a estar em cima da mesa nos últimos tempos, com várias publicações a acusar o fundador da Microsoft de querer usar as vacinas para reduzir a população mundial. Esta já não é a primeira vez que acontece e, mais uma vez, trata-se de uma informação falsa.

Tudo começou numa conferência TED intitulada “Inovando para zero!” , em fevereiro de 2010, quando Bill Gates falou sobre vários temas ligados à redução de emissões de dióxido de carbono no âmbito da produção energética. O intuito era debater formas de combater o aquecimento global, mas acima de tudo perceber o que podia ser feito para melhorar a vida da população mundial, com um foco especial nos países em desenvolvimento.

A certa altura, o filantropo decide centrar-se nas pessoas e no que pode ser feito nesse sentido para combater o problema global (aos 4 minutos de vídeo e com legendas em português). Na altura, havia “6,8 mil milhões de pessoas no mundo” e Bill Gates avisou que se estava a “caminhar para os 9 mil milhões” e que era preciso fazer algo. Sugestão? “Se fizermos um ótimo trabalho em novas vacinas, no sistema de saúde e no planeamento familiar, poderíamos diminuir esse número, talvez, em 10 a 15%. Contudo, vemos um aumento de cerca de 1,3%.”

Apesar de muitos terem referido que com esta afirmação Bill Gates pretendia usar a vacinação para diminuir a população mundial, trata-se de uma afirmação errada. O empresário viu as suas palavras deturpadas, pois referiu-se a diminuir entre “10 a 15%” o crescimento populacional e não a população mundial. Não foi, portanto, sugerido que o problema podia ser resolvido com a morte de milhares de pessoas dos países em desenvolvimento através de programas forçados de vacinação.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além das evidências de que Bill Gates não proferiu aquelas palavras com o intuito de sugerir a “depopulação”, o jornal “The Sovereign Independent”, que surge nas mãos de uma mulher e que tem como título a origem de toda a polémica, aparece diversas vezes associado à propagação de teorias da conspiração.

Conclusão

O conteúdo da publicação é errado, já que Bill Gates nunca se referiu à utilização de vacinas para uma “redução da população” mundial. O filantropo já falou sobre o tema da vacinação várias vezes e nessa conferência TED também o fez, mas para sugerir que diminuir entre “10 a 15%” o crescimento populacional seria bom para o ambiente, através de novas vacinas e de melhorias no acesso à saúde. Ao contrário do que é sugerido, o fundador da Microsof nunca se refere à diminuição da população mundial através da morte de pessoas.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge