“Vigarista.” A palavra surge na capa da revista Crusoé que está a ser partilhada nas redes sociais e refere-se a Michelle Bolsonaro, mulher do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro.

Contudo, uma pesquisa pelos órgãos de comunicação social brasileiros prova que se trata de uma montagem, já que a capa da revista de agosto de 2020 tem exatamente a mesma fotografia, mas sem qualquer palavra em cima de “exclusivo”. O título é “Mais cheques para Michelle” nos dois casos — na capa original e na montagem — mas a palavra “vigarista” só aparece na imagem manipulada.

Na edição da revista Crusoé em causa foi publicada uma investigação que revelou que Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio e amigo de longa data do presidente brasileiro, era suspeito de desvios de salários de assessores para outras pessoas — um esquema conhecido no Brasil como “rachadinha”. Naquela situação, o assessor teria depositado pelo menos 21 cheques na conta de Michelle Bolsonaro entre 2011 e 2018, num valor de 72 mil reais (mais de 11 mil euros).

Neste caso específico, Fabrício Queiroz estava a ser investigado por, alegadamente ter desviado parte do salário de funcionários do filho mais velho de Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Conclusão

A capa de Michelle Bolsonaro com a palavra “vigarista” é uma montagem em relação à edição de 7 de agosto de 2020 da revista Crusoé. A publicação dá como verdadeira a capa partilhada nas redes sociais, mas trata-se de uma afirmação e de uma imagem falsa, sem qualquer fundo de verdade. De facto, a mulher de Bolsonaro esteve na capa da revista, o tema era o mesmo, mas a palavra “vigarista” nunca foi publicada.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge