O vídeo começa por mostrar aquilo que parece ser um biberão normal de plástico, com tampa cor-de-rosa. “Olha aqui ó, vocês que votam no PT [Partido dos Trabalhadores], essa aqui é a mamadeira [biberão] distribuída na creche. Olha a marca aqui, ó. Distribuída na creche para seu filho, com a desculpa de combater a homofobia”, começa por dizer o homem que faz o vídeo. Até que, a certa altura, o protagonista retira a tampa do biberão e mostra uma tetina diferente do habitual: tem forma de pénis.

“Olha o bico como é, ó. ‘Tá vendo? O PT e o Haddad prega isso para o seu filho. Seu filho de cinco, seis anos de idade vai beber mamadeira na creche com isso aqui, para combater a homofobia”, diz o narrador, acrescentando que “isso faz parte do kit gay“, que, segundo o próprio, teria sido criado por Haddad, antigo ministro da Educação do PT e candidato presidencial do partido contra Jair Bolsonaro, em 2018.

O problema é que, embora existam biberões como este, eles nunca foram distribuídos em creches no Brasil. O vídeo em causa foi divulgado em 2018, aquando da campanha eleitoral para as presidenciais brasileiras, mas voltou a ser partilhado nos últimos dias.

Vamos por partes. O autor do vídeo não se identifica nem explica em que estabelecimento de ensino teria sido distribuído este biberão. Apesar disso, o site brasileiro Projeto Comprova, especializado em fact-checks, contactou diretamente o ministério da Educação brasileiro em 2018 para confirmar se algum biberão deste tipo tinha sido distribuído em qualquer estabelecimento de ensino público e obteve resposta negativa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além disso, o Comprova também descobriu que o produto é real, mas vendido apenas para adultos em sex-shops no Brasil.

O PT também desmentiu publicamente a acusação em 2018. Num artigo publicado na página do ex-Presidente Lula da Silva, a Secretaria Nacional de Comunicação do partido negou categoricamente a acusação: “É mentira! O PT jamais distribuiu nenhum tipo de material erótico, muito menos para crianças!”, pode ler-se no comunicado.

O Lupa, mecanismo de fact-check da revista brasileira Piauí, lembra ainda um dado que impossibilita qualquer tese sobre a distribuição destes materiais em 2018, quando o vídeo começou a circular pela primeira vez: nesse ano, o PT não estava sequer à frente do governo brasileiro, já que o partido foi afastado do poder com o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016.

Já quanto a Fernando Haddad, mencionado diretamente no vídeo, já não é ministro da Educação brasileiro desde 2012. Não há provas de existência de nenhum kit gay. Aquilo que existiu, sim, foi um documento de orientação para professores intitulado “Escola Sem Homofobia”. Mas, como aponta o Lupa, este nem sequer chegou a ser distribuído nas escolas “devido a acusações da bancada evangélica e setores conservadores de que o material estimulava ‘o homossexualismo [sic] e a promiscuidade'”.

Conclusão

Não é verdade que o PT, quando estava à frente do governo, ou que o seu antigo ministro da Educação Fernando Haddad tenha distribuído por creches e escolas biberões com forma de pénis. O biberão mostrado no vídeo é real, mas é apenas vendido em sex-shops.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge