Sinistralidade Rodoviária

Cuidado. Primeiro radar do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade instalado na A5

1.246

Este sistema será composto por uma rede de 30 radares automáticos, que vão circular aleatoriamente por 50 locais considerados perigosos.

A5 vai receber o primeiro radar do SINCRO, Sistema Nacional de Controlo de Velocidade

JOANA SARAMAGO/LUSA

O primeiro radar do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO) é instalado esta quarta-feira na A5, entre Lisboa e Cascais. Este sistema será composto por uma rede de 30 radares automáticos, distribuídos por 50 locais considerados perigosos.

Os radares SINCRO funcionam sem a intervenção humana. Por isso, quem for detetado em excesso de velocidade por um destes aparelhos não terá hipótese: vai mesmo receber a multa.

Os locais exatos dos radares, esses, serão uma incógnita, até porque os aparelhos vão rodar entre as 50 cabines, e será impossível detetar onde estão. De acordo com declarações do secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, à Rádio Renascença, a ideia é que “haja, também, da parte do condutor, alguma expectativa em saber se vai ser fotografado ou não”.

“Quando há uma infração, estes radares comunicam automaticamente para a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, para o sistema SINCRO, que emite de imediato o auto da contraordenação, com respetiva fotografia da viatura e da matrícula e com o certificado de qualidade do radar”, explica Jorge Gomes à RR.

O secretário de Estado explica que a A5 é “uma das estradas com maior número de sinistralidade no país”, o que justifica a instalação do primeiro radar.

A rede deverá estar completa no início do próximo ano, e metade dos radares serão instalados e colocados em funcionamento até ao fim de setembro deste ano. O sistema SINCRO vai custar ao Estado 3,19 milhões de euros.

A cerimónia que marca o início do funcionamento da rede acontece na manhã desta quarta-feira, com a presença do secretário de Estado da Administração Interna.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site