Inteligência Artificial

A Disney quer substituir os atores dos parques de diversão por robôs

170

A Disney tem intenções de substituir todos os atores dos seus parques de diversão por robôs criados de propósito para interpretar as personagens mais conhecidas.

A interação com o Mickey, Pateta e Pato Donald faz parte da experiência de fantasia que é a Disneyland

Mark Ashman/Disney via Getty Images

Cerca de 1200 atores da Disneyland podem vir a perder os empregos. A Disney tenciona substituir os profissionais que dão vida às suas personagens por robôs softbody. A patente já data de abril mas só agora foi confirmada a intenção de explorar a fundo a ideia.

Qual é a melhor parte da Disneyland? Conhecer os heróis de infância, diria qualquer criança que visita o parque! A interação com o Mickey, Pateta ou o Pato Donald faz parte da experiência de fantasia que é a Disneyland. Por detrás destas personagens estão atores que treinam e praticam durante horas os movimentos das personagens. Contudo, uma patente da Disney ambiciona não ter que depender destes atores muito mais tempo.

Essa mesma patente revela que o plano da Disney é de criar robôs soft-body (que é como quem diz, suaves e fofos) adaptados para interação humana, nomeadamente com crianças. Eles também vão incorporar sensores e software de controlo orientado para reduzir o impacto e colisão durante qualquer interação humana. Cada robô será treinado para a personagem em questão, na forma de andar, de se mexer e de se comportar perto de pessoas.

Podemos estar prestes a ver pequenos robôs soft-body à venda nas lojas dos parques, enquanto os de tamanho adulto andarão a interagir com os visitantes.

A Disney sempre desencorajou os atores que contrata a revelarem quem está dentro do disfarce para preservar um pouco da fantasia. Os atores, por sua vez, acham que isso é uma violação dos seus direitos constitucionais.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jcosta@observador.pt
Inovação

A emergência do 4º setor

António Covas

Neste século XXI temos de decidir sobre a dosagem de Estado Social (mais dívida, impostos e emprego público) e de economia colaborativa e partilhada (menos impostos, mais emprego privado e partilhado)

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site