Primeira Liga NOS

Jonas, a referência do Benfica, já marcou em tudo e a todos menos a um. Será à sexta tentativa?

Grande parte das esperanças ofensivas do Benfica para o dérbi assentam no instinto de Jonas, o brasileiro que já passou os 100 golos pelos encarnados. Mas o Sporting é uma "maldição" por superar.

Jonas fez apenas um dérbi para a Liga na Luz, quando o Sporting foi vencer o rival Benfica por 3-0

AFP/Getty Images

A mudança estrutural da ideia de jogo do Benfica acabou por adensar algo que tinha vindo à tona de forma natural: a “dependência” de Jonas. E porquê? Porque a partir do momento em que Rui Vitória, treinador dos encarnados, decidiu abdicar do seu modelo de 4x4x2 que o levou ao bicampeonato para lançar um 4x3x3 que potenciasse o crescimento de Krovinovic, a melhoria de Pizzi e uma maior produtividade dos alas (por norma, Salvio e Cervi), o ataque ficou entregue apenas ao brasileiro. Que, de uma forma, se tem ainda excedido a nível de números.

Se, no total de todas as competições, o Pistolas leva 22 tiros certos em 26 encontros oficiais, o registo na Primeira Liga é ainda mais expressivo: 18 golos em… 15 partidas. Aliás, só não marcou em dois jogos: na deslocação a Chaves, resolvida por Seferovic já em período de descontos, e na visita ao Dragão, que terminou com um nulo. De resto, deixou marca em todos, com um hat-trick ao Belenenses e bis com Desp. Aves, V. Setúbal e Tondela. Entre tantos recordes, falta quebrar uma “maldição”: marcar ao Sporting. E esta será a sexta tentativa.

Em cinco encontros frente aos leões, apenas no primeiro, a 8 de fevereiro de 2015 (em Alvalade, para a Liga, que acabou com o empate a uma bola), não foi admoestado com cartão amarelo, uma espécie de “regra” daí para a frente: foi assim a 9 de agosto de 2015, na Supertaça (0-1); foi assim a 25 de outubro de 2015, na Luz para o Campeonato (0-3); foi assim a 21 de novembro de 2015, na Taça de Portugal (1-2, embora só tenho jogado os últimos 15 minutos do prolongamento); foi assim a 5 de março de 2016, em Alvalade para o Campeonato (1-0). Depois, por motivos físicos, o brasileiro falhou sempre os dérbis; esta noite, estará de volta.

Com golos no Campeonato, na Taça de Portugal, na Taça da Liga, na Supertaça e na Liga dos Campeões, Jonas tem já 106 ao serviço do Benfica. A título de curiosidade, aqui fica a lista de todas as “vítimas”:
– 10 golos: Belenenses e Nacional
– 9 golos: Marítimo
– 8 golos: Estoril
– 7 golos: Moreirense
– 6 golos: Sp. Braga, Tondela e V. Guimarães
– 5 golos: V. Setúbal
– 4 golos: Académica, Arouca, Boavista, P. Ferreira e Rio Ave
– 3 golos: Sp. Covilhã
– 2 golos: Desp. Aves, Penafiel, Portimonense, U. Madeira e Vizela
– 1 golo: FC Porto, Feirense, Galatasaray, Gil Vicente, Leixões e Zenit

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site