Startups

CES 2018. Portugal é um dos 13 campeões mundiais da inovação

527

A associação que organiza o maior evento de tecnologia do mundo, o CES, distinguiu Portugal como um dos países mais inovadores do mundo, ao lado de países como os EUA, Dinamarca ou Austrália.

Portugal está ao lado de países como a Finlândia, Reino Unido, Suécia, EUA, Singapura, Canadá, República Checa, Áustria, Dinamarca e Nova Zelândia

Getty Images

A maior feira de tecnologia do mundo, a CES, começou esta terça-feira em Las Vegas, nos EUA. Na apresentação do primeiro relatório da associação que organiza o evento — a Consumer Technology Association (CTA) — uma novidade em português: Portugal está entre os 13 campeões internacionais da inovação, ao lado de países como a Finlândia, Reino Unido, Suécia, EUA, Singapura, Canadá, República Checa, Áustria, Dinamarca e Nova Zelândia.

Entre os 12 itens avaliados, Portugal sobressaiu em quatro — liberdade (está entre os países com mais liberdade política e individual), drones (está entre os países onde está a nascer a melhor tecnologia para drones), arrendamento de curta duração (está entre os países com melhores condições para arrendar casa por pouco tempo) e ambiente (está entre os países com melhor qualidade de água e ar).

As outras características analisadas incluem a qualidade da banda larga, o ecossistema de empreendedorismo, o investimento em Inovação e Desenvolvimento, a diversidade, o capital humano, a partilha de carros e alojamento, enquadramento fiscal e carros autónomos. Foi a primeira vez que a CTA elaborou um relatório que avalia as políticas de vários países nestes 12 aspetos. Para realizar este estudo, a CTA selecionou 38 países.

Até 12 de janeiro, as empresas presentes na CES vão mostrar as últimas novidades tecnológicas a distribuidores. Há mais de 50 anos que o evento acontece em Las Vegas. Foi lá que se anunciaram novidades como o gravador de cassetes, o DVD, as televisões plasmas ou os blu-rays.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Startups

Foguetório empresarial

Maria João Marques
187

Não há nada que irrite mais o português médio que o arrojo e a ousadia alheia. O atrevimento, as ambiciosas ideias de uns têm o condão de iluminar o conformismo dos restantes, o que ninguém leva a bem

Eutanásia

Eutanásia: uma falsa compaixão

João Muñoz de Oliveira

Todos sabemos que a vida não nos pertence por completo: foi-nos dada pelos nossos pais como um dom, pelo que não temos domínio absoluto sobre ela. E este ponto reforça os argumentos contra a eutanásia

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site