Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

1. Lisboa já teve uma final. Qual foi?

Em 1967. E nem foi bem em Lisboa, mas ao lado. No Jamor, o Estádio Nacional acolheu a Taça dos Clubes Campeões Europeus que os escoceses do Celtic roubaram ao Inter de Milão (2-1), que já tinha dois troféus na prateleira. E para a história ficaram como os “Leões de Lisboa”.

2. Houve um império latino. Sabe até quando durou?

Melhor ainda, quando começou? Logo na primeira edição da prova, em 1956. Nesse ano o Real Madrid venceu a primeira de quatro taças seguidas. Parou em 1960 mas até 67 houve sempre uma equipa de Portugal, Espanha ou Itália na final (Real Madrid, Benfica, Milan e Inter). Agora sim, a resposta: o império durou 11 anos e só terminou no Jamor.

3. Qual foi o estádio que recebeu mais finais?

Volta e meia, esta corrida acaba em Londres. Em 59 edições, a prova já visitou muitos recintos mas só ao Estádio de Wembley foi sete vezes. É muita final – em 2011 e 2013, por exemplo, esteve lá. Os que mais perto se aproximam (com quatro finais cada), são o Parque dos Príncipes (Paris), o Santiago Bernabéu (Madrid), o Heysel Stadium (Bruxelas) e o Olímpico de Roma.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

4. As décadas dividem-se por hegemonias. Que país teve mais?

Ora bem, vamos lá explicar. Entre 1957 a 2014 estão cinco décadas e por cada dez anos de competição houve sempre um país a ter mais vencedores. Um problema: há um empate técnico entre Espanha e Itália. Literalmente. Os nossos hermanos espanhóis dominaram as décadas de 50 e 90, enquanto os transalpinos apoderaram-se dos anos 60 e 80. Depois, de 2001 a 2010, estão iguais. Aqui não há empates e, vendo melhor os anos 2000, há cinco equipas italianas que chegam a finais. Perdón, Espanha.

5. Quem marcou mais golos numa edição da Champions?

O rei é Cristiano Ronaldo, com 16 golos nesta temporada. O português é, agora, o dono  do trono, superando José Altafini, um goleador do Milan que estabeleceu esta a marca de 14 golos em 1962/63. Ao todo, entre Milan e Juventus, Altafini marcaria um total de 24 golos em 28 jogos. O seu registo só tremeria perante um tal de Leo Messi. O argentino do Barcelona alcançou os 14 golos em 2011/12, numa edição em que, curiosamente, os catalães nem chegaram à final.

6. E o jogador que, no total, já meteu mais bolas na baliza?

Raúl González, o eterno goleador do Real Madrid. O espanhol, já retirado, até está com a comitiva merengue em Lisboa, tal como Hierro, e estabeleceu a marca de 72 golos na competição. Messi segue na segunda posição apenas a dois golos. O último lugar do pódio, mas, acredita-se, não por muito tempo, é de Cristiano Ronaldo. O português já marcou 66 golos em 102 presenças e promete não ficar por aí…

7. NO DUELO DA EXPERIÊNCIA, O REAL MADRID JÁ GANHOU.

A diferença é gritante. No total, os jogadores do Real somam 912 presenças na Liga dos Campeões. Casillas é o mister Champions, com 139 jogos. Seguem-lhe depois Ronaldo (139), Xabi Alonso (94), que falhará a final, e Sergio Ramos (73). O Atlético não está habituado a estas andanças. Ora vejamos: no total, reúne entre os seus jogadores apenas 337 jogos. Os mais experientes são David Villa (46), Tiago (39), Diego (35) e Cristián Rodriguez (32). No duelo de treinadores, Ancelotti oferece uma goleada das antigas a Simeone: 120-12.

8. Quem chegou invicto a uma final, antes de Simeone o conseguir?

O coração, rigor e união levaram a equipa de Simeone à final sem registar qualquer derrota (nove vitórias em 12 jogos). Só aconteceu quatro vezes na história do novo formato da Liga dos Campeões desde 1992/93. O Marselha (1992/93) foi o primeiro a lograr tal feito. Um ano depois, o Milan seguiu-lhe as pisadas, e até culminou a prova como uma goleada (4-0) contra o Barça de Cruyff, em Atenas. O Ajax foi o terceiro a conseguir repetir a façanha, em 1994/95. Seria necessário esperar 11 anos para voltar a ver tal coisa. O Barcelona de Frank Rijkaard (2005/06), que até eliminou o Benfica nos quartos-de-final, foi a última equipa a chegar à final sem derrotas.

9. Só duas equipas vindas para lá da Alemanha chegaram à final. Quais?

É como um muro. Não de Berlim, mas alemão. Nas 58 decisões da Liga dos Campeões e da Taça que a antecedeu – até 1993, já agora, chamava-se Taça dos Clubes Campeões Europeus -, só o Steaua de Bucareste (1986) e o Estrela Vermelha de Belgrado (1991) representaram países mais a leste.

10. O Atlético de Madrid já foi finalista. Sabe quando foi?

Há 40 anos. Em 1974, os colchoneros foram até ao Estádio de Heysel, em Bruxelas, e acabaram por perder (4-0) com o Bayern de Munique. Era a última de dez épocas de Luis Aragonés no clube. Como jogador. No final dessa temporada passou logo a treinador do clube (até 1984), e voltaria ao cargo ainda mais duas vezes (de 1991 a 1993 e entre 2001 e 2003). E por isso o clube joga este sábado a final no Estádio da Luz com o seu nome no interior de cada camisola.

11. O que é a fome pela La Décima?

A obsessão da Décima vive no Santiago Bernabéu há muito, muito tempo. Esta história blanca, que em tempos teve como áses Puskas e Di Stéfano, começou na década de 50, quando conquistou quatro troféus da Taça dos Campeões Europeus (1956, 1957, 1958 e 1959). Em 1960 e 1966 conquistaria outras duas, mas um duro jejum estava para chegar. O Real Madrid só voltaria a vencer a Liga dos Campeões em 1998. Voltaria a fazê-lo em 2000 e 2002. No total, nove. Passados 12 anos, chegou a altura de tentar levantar a tão almejada Décima.

12. Carlo Ancelotti pode igualar alguém nesta final. Quem?

O italiano é um verdadeiro papa-troféus e já conquistou duas Ligas dos Campeões. Foi ao serviço do Milan, em 2003 e 2007. O italiano está a um passo de ficar na história do futebol. Se ganhar, iguala os três troféus de Bob Paisley, um inglês que treinou o Liverpool entre 1974-1983 e que ganhou o troféu em três ocasiões: 1977, 1978 e 1981

13. Quais os clubes que já conseguiram uma tripla europeia?

Apenas quatro equipas conseguiram vencer a Liga dos Campeões, a Taça UEFA/Liga Europa e a Taça das Taças: Ajax, Bayern Munique, Juventus e Chelsea. O Atlético pode converter-se no quinto clube a consegui-lo. Os colchoneros venceram a Taça das Taças em 1962 — 3-0 e 1-1 contra a Fiorentina — e a Liga Europa em 2010 e 2012.

14. Só houve uma final que não teve um cartaz oficial da UEFA. Qual?

Logo a segunda. Em 1957, a Fiorentina foi ao Santiago Bernabéu desafiar e perder (2-0) com o Real Madrid. Isto sabe-se com certeza, agora o porquê é outra história. Nem a UEFA saberá, pois a justificação que deu no Museu da Liga dos Campeões, em Lisboa, foi apenas esta: “Pela única vez, um programa oficial não foi produzido para a final.”