O Parlamento Basco proclamou esta quinta-feira que “Euskal Herria” (o País Basco) tem direito à autodeterminação e que esse direito “reside na força dos seus cidadãos, a quem cabe decidir livremente e democraticamente o seu estatuto político”.

A proposta foi aprovada com o voto dos nacionalistas PNV e EH Bildu e é, em parte, uma cópia de uma resolução previamente aprovada em 1990 então com os votos da PNV, EA e Euskadiko Ezkerra.

O texto assinala que os bascos tem direito a decidir o seu “estatuto político, económico, social e cultural, dotando-se um quadro político próprio ou partilhando, em parte ou na totalidade, a sua soberania com outros povos”.

A proposta teve os votos contra do PSE, PP e UPyD que questionaram a definição jurídica do direito à autodeterminação.