Quantas vezes os pais se deparam com a dificuldade de fazer os filhos comer vegetais. Uns obrigam, outros deixam estar. Uns castigam, outros escondem o sabor dos vegetais com outros aromas. Há até quem tente tornar as refeições com vegetais mais divertidas. Mas a pergunta é se devemos ou não obrigar as crianças a comê-los.

A opiniões divergem. Para o pediatra Carlos González, entrevistado esta semana pelo Observador, não é preciso obrigar as crianças a comer legumes. “Obrigar um bebé a comer muita verdura, faz com que este a odeie e, de seguida, deixar de tentar é um desastre”, diz o pediatra. “Atualmente, todos comemos coisas que em pequenos não gostávamos, a menos que os nossos pais tenham insistido tanto que nos fizeram odiar verduras.”

Mas para Marion Hetherington, investigadora no Instituto de Ciências Fisiológicas em Leeds (Inglaterra), as crianças devem ser alimentadas com vegetais com frequência antes dos dois anos. “Se tiverem menos que dois anos vão comer vegetais porque estão abertos a novas experiências. Depois dos 24 meses as crianças ficam relutantes a experimentar coisa novas e começam a rejeitar comida, até aquela que gostavam.”

Enquanto Marion Hetherington defende, baseada num estudo agora publicado na Plos One, que se devem dar legumes a comer aos bebés com frequência, Carlos González entende que se devem procurar dar alimentos com mais calorias, como massa, frango e pão. “A verdura é baixa em calorias e simplesmente não caberia na barriga toda a quantidade que teriam de comer.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Se mesmo assim se mantém a dúvida, Carlos González tem uma opinião sobre a educação das crianças: seguir o instinto. “O instinto não é perfeito, mas, geralmente, é muito bom.”