Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma forte chuvada que caiu na tarde desta quinta-feira no Pinhão, concelho de Alijó, provocou inundações em diversas casas da localidade e derrocadas em estradas próximas. De acordo com João Carlos Rebelo, comandante municipal da Proteção Civil, citado pelo Jornal de Notícias, houve “prejuízos avultadíssimos”.

O Observador tentou obter mais esclarecimentos junto da Proteção Civil local e da Junta de Freguesia, mas tal não foi possível até ao momento, apenas nos tendo sido garantido que João Rebelo estava no terreno a coordenar as limpezas. À Renascença, Albano Pereira, presidente da junta, descreveu a chuva forte que se abateu sobre o Pinhão como “uma coisa nunca vista”, adiantando que a água destruiu “muros, habitações e carros”. O comandante Rebelo precisa: “Foi durante cerca de 10 a 15 minutos um dilúvio de água. Muita água em pouco tempo fez com que viesse tudo desembocar na zona baixa da vila do Pinhão”.

A estrada que liga Favaios, Vale do Mendiz e Pinhão foi a que sofreu a maior intensidade das derrocadas, que se fizeram sentir noutras vias das redondezas, nomeadamente numa estrada da margem oposta do rio Pinhão – que encontra o Douro junto a esta vila -, tendo um carro ficado soterrado por pedras que caíram de uma encosta com 80 a 100 metros de altitude.

Os bombeiros e técnicos das Estradas de Portugal iniciaram as operações de limpeza logo após o mau tempo, segundo informações de João Carlos Rebelo, e estas ainda decorrem.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR