Os ataques de Israel a Gaza perpetrados esta terça feira provocaram 17 mortos e uma centena de feridos, anunciaram os serviços de emergência, numa altura em que os militares começaram uma campanha aérea contra militantes palestinianos no território.

Também hoje, num raide militar, quatro militantes da fação armada do movimento islâmico Hamas entraram por mar no território israelita e atacaram uma base do Exército a norte de Gaza, mas foram todos mortos, tendo ferido um soldado israelita.

O porta-voz dos serviços de emergência Ashraf al-Qudra, disse à agência France Presse que dois adolescentes foram mortos e pelo menos 25 pessoas ficaram feridas num dos ataques israelitas.

Uma criança de oito anos que ficou ferida no ataque veio a falecer mais tarde.

Testemunhas disseram que um drone israelita fez disparos de aviso e que os civis fizeram escudos humanos em redor das habitações e que a seguir surgiu um avião F-16 que disparou um míssil.

Em resposta, o Hamas disse que “todos os israelitas” seriam potenciais alvos de retaliação.

Vários ataques foram perpetrados em Beit Lahiya, no norte de Gaza, matando um homem e um jovem de 16 anos, também segundo testemunhas, e em Deit al-Balah, na zona central de Gaza, houve mais um morto.

Também no centro de Gaza, um míssil atingiu um automóvel, matando os três ocupantes.

Vários familiares indicaram que muitas das vítimas eram militantes do Hamas.

As mortes aconteceram algumas horas depois de Israel ter anunciado o início de uma operação para proteger o sul do país e destruir a infraestrutura militar do Hamas, que disparou cerca de 120 ‘rockets’, 23 deles intercetados pelo sistema de defesa antimíssil.