As autoridades japonesas recomendaram a retirada de cerca de 55 mil pessoas esta terça-feira devido à chegada ao sul do país de um potente tufão que colocou o Japão sob alerta máximo.

O tufão Neoguri, cuja intensidade foi classificada como “muito forte” pela Agência de Meteorologia do Japão (JMA), já alcançou as ilhas mais meridionais da região de Okinawa, aumentando a sua intensidade a partir deste local.

O organismo meteorológico estatal decretou alerta máximo nas ilhas de Miyako e Okinawa principalmente por causa das rajadas de vento e das ondas, as quais poderiam atingir, respetivamente, 270 quilómetros por hora e 14 metros de altura.

O Neoguri, que obrigou ao encerramento de escolas e ao cancelamento de dezenas de voos, também provocará, segundo as previsões, intensas chuvas de até 60 milímetros por hora em algumas zonas de Okinawa.

A JMA recomendou à população da região para tomar “todas as precauções necessárias”, enquanto as autoridades locais tomaram medidas nas zonas onde se prevê que haja um maior impacto do tufão, cujo estatuto foi reduzido de ‘super-tufão’ à medida que se foi aproximando do arquipélago nipónico.

As autoridades de Miyakojima (principal localidade das ilhas Miyako) procederam à retirada dos seus 55.000 habitantes e todas as escolas de Okinawa permanecerão encerradas pelo menos hoje.

Todos os voos que tinham previsto aterrar ou descolar esta terça-feira na região foram cancelados. A operação dos transportes marítimos também foi suspensa.

A elétrica Okinawa Electric Power Company informou, por seu lado, de cortes no fornecimento de energia que estavam a afetar cerca de 6.500 pessoas cerca das 6:00 (00:00 em Lisboa).

A essa hora, o Neoguri estava a aproximadamente 100 quilómetros a sudeste das ilhas Miyako e movimentava-se em direção ao arquipélago a uma velocidade de 25 quilómetros por hora.

Este figura como o oitavo tufão da temporada, tendo sido considerado pela JMA o mais forte registado durante um mês de julho.

O tufão deverá alcançar a ilha de Kyushu, segundo avança a agência Reuters, ainda esta terça-feira, provando chuvas torrenciais e ventos muito fortes.  Posteriormente, poderá chegar a Honshu, onde se localizam as cidades mais povoadas do país, Tóquio e Osaka.

Após a sua passagem pelo Japão, o tufão Neoguri deve rumar a norte pelo Mar da China Oriental e alterar a sua trajetória de forma gradual em direção a leste, de acordo com as previsões da agência meteorológica japonesa.