Hoje a farmacêutica suiça Novartis anunciou uma parceria com a Google para desenvolver e licenciar lentes de contacto com sensores capazes de medir a glicose (açúcar) no sangue. Estas poderão cumprir simultaneamente com a sua função tradicional de correção da visão, uma das complicações mais comuns nos doentes com diabetes.

O princípio tecnológico é simples: estas lentes serão equipadas com sensores capazes de medir a glicose na lágrima, e através de uma antena da espessura de um cabelo transmitir essa leitura para o smartphone. Será, portanto, um dispositivo não invasivo, e promete terminar com a rotina das picadas diárias a que milhões de diabéticos se obrigam para efetuar as medições. A Novartis e a Google não divulgaram os valores do negócio, e a farmacêutica afirma que um protótipo destas lentes deverá estar disponível para teste no início do próximo ano.

Cada vez mais pequena e mais eficiente, a miniaturização tecnológica avança no sentido de produzir sensores capazes de medir eficazmente parâmetros fisiológicos. Os laboratórios de desenvolvimento da Google estão na linha da frente, e há já vários meses foi anunciada a incorporação desta microtecnologia em lentes de contacto (as lentes inteligentes).

Esta notícia surge uma semana depois do anúncio da aprovação pela FDA de uma nova insulina inalável. A diabetes é uma doença que afeta quase 400 milhões de pessoas em todo o mundo, um número com tendência para crescer devido às alterações dos hábitos de consumo nos países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento.