O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, afirmou esta segunda-feira que os restos mortais das vítimas do voo da Air Algerie que caiu quinta-feira no Mali “estão pulverizados”, avança a Agência Efe.  Em conferência de imprensa, Fabius anunciou que o objetivo passa, “na medida do possível”, por “identificar” os corpos e “entregá-los” às famílias.

O voo da Air Algerie, que fazia a ligação Burkina Faso-Argélia, foi primeiramente dado como desaparecido, mas acabaria por confirmar-se pouco depois que se havia despenhado a poucos quilómetros de Gao, no nordeste do Mali.

O voo AH5017 saiu da capital de Burkina Faso rumo a Argel, no norte do continente africano. A bordo da aeronave iam 110 passageiros, 51 dos quais de nacionalidade francesa, e seis membros da tripulação, de nacionalidade espanhola.

O mau tempo que se fazia sentir na região poderá ter estado na origem daquele que pode ser o pior desastre aéreo da Air Algerie. De acordo com o ministro dos Transportes de Burkina Faso, Jean Bertin Ouedrago, o avião terá pedido ao controlo aéreo para mudar de rota devido a uma forte tempestade que estava a afectar a visibilidade.