A época do Ramadão termina esta segunda feira, dia 28 de julho, após um mês de jejum para todos os praticantes do islamismo.

Como está escrito no Alcorão, “o mês do Ramadão foi o mês em que foi revelado o Alcorão, orientação para a humanidade e evidência de orientação e discernimento”.

O Ramadão é o nono mês do calendário islâmico, sendo o quarto dos cinco pilares da religião, juntamente com a obrigação de espalhar a palavra do Alcorão, rezar cinco vezes virado para Meca, pagar dádivas e fazer pelo menos uma vez na vida a peregrinação a Meca.

Durante este mês, os praticantes da religião são obrigados a jejuar, reduzindo a sua alimentação a duas refeições: o Su-hoor, de manhã e o Ifatr, ao fim do dia. No entanto, a privação aplica-se também às relações sexuais, não se limitando apenas à alimentação. O objectivo é abster-se com rigorosa disciplina de tudo o que pode ir contra à moral.

Nesta altura, a ida à mesquita é reforçada, assim como a reza especial, noturna, chamada de Taraweeh.

Ficam isentos do Ramadão os idosos, doentes, grávidas ou mulheres em período de lactação.

O site dedicado ao Ramadão de 2014 deixou cinco dicas para um “Ramadão mais produtivo”:

1. “O Ramadão é um mês de culto e sacrifício, não durma!”

2. “A chave para um Ramadão produtivo é a consistência. Seja consistente!”

3. “Energize o seu jejum com palavras sagradas.”

4. “O Ramadão é um mês de partilha e não de oferenda.”

5. “O Ramadão é um mês de misericórdia e não de conflitos.”