Ricardo Salgado não se considera responsável pela queda do Banco Espírito Santo. Isso mesmo terá dito o ex-administrador da instituição ao Diário Económico, que traz na sua edição de quinta-feira o relato de um encontro com Salgado no hotel que agora usa como escritório, no Estoril.

Sem poder falar de muitas coisas relacionadas com o BES e o GES, por motivos legais, Salgado diz ser um homem de compromissos e garante que vai lutar para recuperar a confiança dos acionistas do banco, se tal for possível. Aliás, não é a única coisa pela qual vai batalhar. “Vou lutar pela honra e dignidade, a minha e a da minha família”, diz.

Descrente de que sejam os familiares da sua idade a recuperar o bom nome do clã Espírito Santo, Salgado insinua que essa missão poderá ser concretizada pelas gerações mais novas, apesar de ele próprio assegurar que ainda tem planos para o futuro, mesmo com os 70 anos que já conta.

Segundo o Diário Económico, ao longo do encontro, Salgado citou o Papa Francisco por diversas vezes, em frases quase sempre com o mesmo teor. “Não chores pelo teu sofrimento, luta pela tua felicidade”, “não chores pelo que perdeste, luta pelo que tens” e “não chores pelos que te abandonaram e luta pelos que estão contigo” são algumas das citações do líder da Igreja Católica usadas por Salgado e que traduzirão o seu estado de espírito neste momento.