Portugal apresentou o quinto maior défice comercial da União Europeia (UE) entre janeiro e maio, com um saldo negativo de 4,1 mil milhões de euros nas trocas internacionais de mercadorias, indica o Eurostat, em dados revelados na segunda-feira.

Entre os 28 Estados-membros da UE (UE28), o Reino Unido foi o que registou o maior défice da balança comercial nos primeiros cinco meses de 2014 (48,1 mil milhões de euros), revelam os dados do gabinete europeu de estatística sobre o comércio internacional de mercadorias.

Ainda pelo lado negativo, seguiram-se França (-30,4 mil milhões), Espanha (-10,1 mil milhões) e Grécia (-8,8 mil milhões).

Em contrapartida, a Alemanha apresentou o maior excedente comercial até maio (84 mil milhões de euros), seguida de longe pela Holanda (25,2 mil milhões), Irlanda e Itália (ambos com 14,1 mil milhões).

Quanto aos números da zona euro, o Eurostat estimou hoje um excedente comercial de 16,8 mil milhões de euros para o mês de junho, o que se traduz num aumento face aos 15,4 mil milhões de euros registados em maio.

O saldo estimado pelo gabinete europeu de estatística é também mais positivo do que em junho de 2013, quando o excedente nas trocas comerciais de mercadorias entre a zona euro e o exterior foi de 15,7 mil milhões de euros.

No que respeita à UE28, estima-se um excedente comercial de 2,9 mil milhões de euros em junho, comparado com 0,5 mil milhões em maio e 8,6 mil milhões em junho de 2013.

Já no período de janeiro a maio, os dados hoje divulgados quanto à UE28 indicam que o défice energético decresceu para 145,4 mil milhões de euros (156,6 mil milhões em janeiro-maio de 2013), tal como sucedeu com o excedente nas trocas de maquinaria e veículos (101,6 mil milhões contra 111,1 mil milhões).

As maiores subidas nas exportações dos Estados-membros deram-se com a China (mais 10% de janeiro a maio do que no mesmo período de 2013) e com a Coreia do Sul (mais 8%). Foi também a Coreia do Sul que registou um maior aumento nas importações feitas pela UE (mais 10%), acompanhada pela Suíça e Turquia (ambos com mais 6%).

Em contrapartida, os maiores decréscimos no mesmo período fizeram-se sentir nas exportações para a Suíça (-22%), Rússia (-12%) e Índia (-11%) e nas importações provenientes da Rússia (-8%), Brasil (-7%) e Japão (-6%).

No que diz respeito aos excedentes comerciais deu-se um aumento nas trocas com os EUA (41,8 mil milhões entre janeiro e maio face a 37,8 mil milhões no mesmo período de 2013), mas o saldo positivo sofreu uma descida nas trocas com a Suíça (19,2 mil milhões contra 38 mil milhões) e com a Turquia (8,3 mil milhões contra 12 mil milhões).

Ainda no mesmo período, o défice comercial da UE28 caiu no comércio com a China (50,9 mil milhões contra 53 mil milhões) e com a Rússia (38,6 contra 39,6 mil milhões), adianta também o Eurostat.