O tenista João Sousa, eliminado pelo britânico Andy Murray na segunda ronda do Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, manteve esta segunda-feira o 37.º lugar no “ranking” mundial, liderado pelo sérvio Novak Djokovic.

Num torneio que prepara o Open dos Estados Unidos, quarto e último “Grand Slam” da temporada, o número um português não resistiu ao atual nono da hierarquia, mas a derrota não comprometeu a posição entre os 40 melhores jogadores do mundo.

No cimo da lista, Djokovic reforçou a liderança, apesar de eliminado nos oitavos de final de Cincinnati, beneficiando da ausência, por lesão, do seu perseguidor direto, o espanhol Rafael Nadal.

Nadal, em dúvida para o Open dos Estados Unidos, está agora a 2.100 pontos do sérvio, quase o dobro da distância da semana passada (1.190), enquanto o suíço Roger Federer continua na terceira posição, um dia depois de ter ganho pela sexta vez em Cincinnati, conquistando o 80.º troféu da carreira.

Entre os restantes portugueses mais cotados, Gastão Elias, que não compete desde finais de julho, quando foi eliminado na segunda ronda do “challenger” de Tampere, na Finlândia, mantém-se na posição 142.

Rui Machado, que já foi 59.º do “ranking”, em 2011, foi um dos portugueses que escalou mais posições na classificação do ATP Tour, com a subida de nove lugares a permitir-lhe entrar nos 250 melhores (248.º).

No circuito feminino, Serena Williams cimentou o comando da hierarquia com a vitória em Cincinnati, passando a deter 2.680 pontos de vantagem sobre a romena Simona Halep, eliminada nos quartos-de-final do torneio do Ohio.

Derrotada por Williams na final de Cincinnati, a sérvia Ana Ivanovic conseguiu, mesmo assim, reentrar no “top-10” mundial, figurando esta semana no nono lugar.

Michelle Larcher de Brito, fora dos “courts” desde que foi eliminada na segunda ronda do “qualifying” para o torneio canadiano de Montreal, no início de agosto, continua a ser a mais cotada portuguesa, mantendo-se às “portas” do “top-100” (104.ª).