Não vale a pena nomear John Kerry, secretário de Estado dos Estados Unidos –  equivalente ao ministro dos Negócios Estrangeiros – para um banho público gelado (ou ice bucket challenge). Ele não pode fazê-lo. Nem ele, nem ninguém do corpo diplomático norte-americano, segundo a equipa de advogados do Departamento de Estado. Tomar um banho com gelo e apelar à contribuição para a investigação da Esclerose Lateral Amiotrófica seria utilizar o seu cargo para “ganhos pessoais”.

A mensagem chegou esta semana a todas as embaixadas dos Estados Unidos e a todos os funcionários com cargos de representação do país. “Há regras muito bem estabelecidas para o exercício de funções públicas, especialmente de embaixadores, no que diz respeito a ganhos pessoais, independentemente da causa. Assim, infelizmente, nenhum alto funcionário do Departamento de Estado pode participar no desafio dos banhos públicos gelados”, menciona o comunicado a que teve acesso a Associated Press.

De qualquer forma, o Departamento de Estado norte-americano deseja muito sucesso à iniciativa da associação americana de Esclerose Lateral Amiotrófica. Figuras políticas como George W. Bush juntaram-se já ao desafio.