O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, autorizou este fim de semana o início de voos de reconhecimento sobre a Síria como possível passo prévio a futuros ataques contra os jihadistas do Estado Islâmico, revelaram fontes oficiais.

A informação da decisão de Barack Obama foi revelada ao diário New York Times e à cadeia CNN.

Os voos de reconhecimento serão realizados com uma combinação de diferentes aviões, entre eles ‘drones’ e outros aviões especiais, explicaram fontes do Departamento de Defesa ao “The New York Times”.

Já a CNN, citando fontes oficiais, referiu que os voos podem começar a “qualquer momento”.

Para o “The New York Times”, os voos de reconhecimento são uma antecâmara para potenciais ataques aéreos sobre posições do Estado Islâmico na Síria, num momento em que os Estados Unidos realizam pela segunda semana bombardeamentos “seletivos” no norte do Iraque contra os jihadistas.

“Os voos são um passo significativo para uma ação militar direta dos Estados Unidos na Síria, uma intervenção que poderia provocar alterações no campo de batalha da guerra civil que se prolonga há três anos no país”, acrescenta o jornal com base na explicação das fontes do Pentágono.

As mesmas fontes garantiram que a Administração Obama “não pretende” notificar o Governo sírio dos voos de reconhecimento.

Esta segunda-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros da Síria, Walid al Mualem, disse que o Governo do país permitirá aos Estados Unidos atacarem os jihadistas dentro das suas fronteiras sempre e quando os ataques sejam “coordenados previamente” com as autoridades.