A Procuradoria Geral da República (PGR) criou uma uma equipa para investigar eventuais crimes na anterior gestão do Grupo Espírito Santo e do BES. A equipa, formada na primeira semana de agosto, é composta por três magistrados do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e conta com a colaboração da Polícia Judiciária, Autoridade Tributária e entidades reguladoras, como o Banco de Portugal e a CMVM, noticiou o Económico. Entre os magistrados está Rosário Teixeira, o procurador titular dos processos do caso Monte Branco.

“Para a investigação dos processos relacionados com o denominado universo Espírito Santo foi constituída uma equipa de magistrados do DCIAP. Esta equipa poderá vir a integrar magistrados de outras jurisdições e outros departamentos, no caso de tal se revelar necessário ao desenvolvimento das funções do Ministério Público no âmbito das diversas competências que lhe estão atribuídas”, revelou ao Económico fonte oficial da PGR.

Embora a equipa só se tenha formalizado no início deste mês, o Ministério Público já antes tinha referido estar a investigar os negócios do universo Espírito Santo. “O Ministério Público, tal como tem vindo a informar, acompanha a situação, coligindo, desde a primeira hora, todos os elementos que têm vindo a público e analisado a eventual relevância penal dos mesmos. Acresce ainda que existem inquéritos em curso relacionados com esta matéria e que são até anteriores às notícias das últimas semanas”, revelou a PGR em comunicado de imprensa a 18 de julho.