A Reserva Federal dos Estados Unidos da América (Fed) anunciou esta quarta-feira que vai acabar com os estímulos à economia norte-americana em outubro, diz a Reuteurs. O banco central do país liderado por Barack Obama afirmou que vai reduzir o programa desenhado para dar resposta à crise financeira de 2008 em 10 mil milhões de dólares, reduzindo a injeção de liquidez na economia para 15 mil milhões de euros.

A instituição liderada por Janet Yellen afirmou que vai manter as taxas de juro de referência em mínimos históricos, entre 0% e 0,25%. Depois do programa de estímulo à economia terminar, as taxas de juro devem manter-se perto de zero por um “tempo considerável”, revelou a Fed.

O banco central norte-americano referiu que a economia evoluiu a um ritmo “moderado” e reviu em baixa as previsões de crescimento do PIB. A Fed espera que a economia cresça entre 2% e 2,2% em 2014 e entre 2,6% e 3% em 2015, explica o Wall Street Journal. Para 2016, as estimativas apontam para um máximo de 2,9%.