O ministro da Economia disse neste domingo que o empreendedorismo e a credibilidade de Portugal têm sido fundamentais para a recuperação da economia, indicando que no último ano foram criadas 35 mil novas empresas. “Os caminhos da recuperação da nossa economia têm passado pela recuperação da nossa credibilidade, da nossa reputação (…), manchada de uma forma clara quando chegámos à conclusão que só conseguíamos alimentar a vida pública com assistência financeira”, disse Pires de Lima, ao discursar no último dia dos trabalhos do Fórum Empresarial do Algarve, em Vilamoura.

Na opinião do governante, a reputação constituiu um passo importante no caminho na recuperação da confiança, com o cumprimento do programa da ajuda financeira. Pires de Lima apontou ainda como caminho fundamental do crescimento económico em Portugal, o empreendedorismo “que está a viver uma vaga positiva, com 35 mil novas empresas criadas ao longo dos últimos 12 meses”.

“Esta onda de empreendedorismo a que o Estado se tem associado de forma privilegiada na fase de formação de financiamento das empresas até chegarem ao mercado, está ligada a empresas que trazem tecnologia e a indústrias mais tradicionais que hoje têm no Estado instrumentos de capitalização e de financiamento, através de crédito vocacionado para o apoio numa fase embrionária”, sublinhou.

Para Pires de Lima, o caminho da recuperação “passa definitivamente pela atração de investimento e pela capacidade de convencer capitais portugueses e internacionais, sendo o posicionamento de Portugal um espaço de entrada para a União Europeia e para construir pontes de negócio com a África e as américas”.

Na agenda das prioridades para atrair investimentos, o ministro da Economia apontou a simplificação fiscal “em curso ao nível do IRC, a simplificação fiscal ao nível das pequenas e muito pequenas empresas e de redução das taxas de IRC sobre os lucros”. “É um sinal que começou em 2014 e que seguramente terá continuidade nos próximos anos. O Estado português oferece hoje um pacote completo aos investidores e potenciais investidores, é um pacote único e singular”, destacou.

Pires de Lima assegurou que o Governo tem empenhado “uma boa parte das suas capacidades, do tempo e da energia, a proteger os sinais positivos da recuperação económica e a salvaguardar a agenda que garanta a competitividade da economia”. “A nossa luta pelo investimento vai continuar na definição das proposta de Orçamento do Estado para 2015”, concluiu.