Em agosto, dezenas de fotografias íntimas de celebridades norte-americanas foram publicadas e partilhadas na internet. Jennifer Lawrence, uma das vítimas, nunca tinha falado sobre o escândalo. Até agora.

Na mais recente edição da revista Vanity Fair, à venda nos Estados Unidos a partir de 8 de outubro, a atriz dos Jogos da Fome quebrou finalmente o silêncio. “Tive muito medo”, confessou. “Não sabia como é que iria afetar a minha carreira”.

Com fotografias da autoria de Patrick Demarchelier, a entrevista foi originalmente feita a 13 de agosto pelo editor Sam Kashner. Duas semanas depois, as imagens começaram a aparecer online e a revista voltou a contactá-la. À Vanity Fair, Lawrence falou da raiva que sentiu. “Só porque sou uma figura pública, só porque sou atriz, não significa que tenha pedido isto”, contou. “É o meu corpo e a escolha deveria ser minha, e o facto de não ter sido é completamente nojento. Não acredito que vivemos num mundo como este”.

Quando as primeiras notícias do roubo começaram a surgir, a atriz pensou em escrever um comunicado mas, apesar da frustração, não conseguiu fazê-lo. “Sempre que tentava escrever começava a chorar ou ficava furiosa. Comecei a escrever um pedido de desculpas, mas não tenho nada para me desculpar”. As fotografias foram tiradas para o antigo namorado, cuja relação de quatro anos descreve como “ótima e saudável”. “Era um relacionamento à distância. Ou o teu namorado vê pornografia ou vê-te a ti”, explicou.

Na mesma entrevista, a atriz de 24 anos e vencedora de um Óscar descreveu o crime como “violação sexual”. “Não é um escândalo. É um crime sexual”, disse. Defendeu também uma alteração da lei e de mentalidades e acusou os sites de divulgação de serem responsáveis.

“A lei precisa de ser mudada e nós também. É por isso que aqueles sites são responsáveis. O simples facto de alguém poder ser sexualmente explorado e violado e a primeira coisa que vem à cabeça de uma pessoa é fazer algum lucro a partir disso, ultrapassa-me. Simplesmente não consigo imaginar ser assim tão desapegada da humanidade. Não consigo imaginar ser assim tão insensível e vazia por dentro.”

Lawrence desabafou a sua frustração, não só em relação aos hackers, mas também em relação a todos aqueles que viram as fotografias, incluindo pessoas que ela própria conhece. “Todos aqueles que viram as fotografias estão a perpetuar uma ofensa sexual. Deviam encher-se de vergonha”, disse. A atriz deixou ainda uma mensagem para os meios de comunicação social que, para ela, são também culpados. “Vocês têm escolha. Não têm de ser pessoas que espalham a negatividade e mentiras para viver. Podem fazer qualquer coisa boa. Podem ser bons”.

Mas, apesar de tudo, a atriz admitiu que o tempo irá ajudá-la a esquecer o que aconteceu. “Não vou voltar a chorar”, confessou. “Não posso continuar a estar zangada. Não posso deixar que a minha felicidade esteja dependente da prisão daquelas pessoas, porque podem não ser presas. Apenas preciso de encontrar a minha própria paz”.