A dívida pública de Portugal ficou nos 129,4% do PIB no segundo trimestre, numa ligeira queda face aos primeiros três meses do ano, segundo dados do Eurostat em que já é usado o novo sistema de europeu de contas. O gabinete europeu de estatísticas publicou hoje os dados da dívida pública no novo sistema de contas públicas (SEC2010). Entre os Estados-membros para que estão disponíveis estes dados, a Itália tinha no segundo trimestre o maior rácio de dívida pública em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB), com 133,8%, seguida de Portugal, em que a dívida pública ascendeu a 129,4% do PIB no segundo trimestre, equivalente a 224,129 mil milhões de euros.

Na Irlanda a dívida pública representava no segundo trimestre 116,7% da riqueza produzida. Apesar de Portugal ter uma das dívidas públicas mais elevadas da União Europeia (sendo que ainda não há dados para Bulgária, Bélgica, Grécia, Espanha, Chipre, Lituânia, Hungria, Polónia e Eslováquia), os 129,4% do segundo trimestre representam, segundo o Eurostat, uma queda face aos 131,6% do primeiro trimestre deste ano e aos 131,5% do segundo trimestre do ano passado.

O Eurostat diz mesmo que a Irlanda (-5,2 pontos percentuais) e Portugal (-2,2 pontos percentuais) foram os países que mais diminuíram a dívida pública entre o primeiro e o segundo trimestre. Entre os dois períodos, houve 12 Estados-membros que aumentaram a dívida pública (a Itália foi o que mais aumentou com 3,1 pontos percentuais), seis em que caiu, enquanto na Estónia se manteve estável (10,5%).

Também em relação ao período homólogo, o segundo trimestre de 2013, Portugal teve uma das maiores quedas, de 2,1 pontos percentuais, só ultrapassado pela Irlanda (8,5 pontos percentuais) e Alemanha (2,7 pontos percentuais). Face ao segundo trimestre de 2013, em 12 países houve um aumento do rácio de dívida pública, em seis registaram-se recuos e o Luxemburgo permaneceu no mesmo nível (23,1%).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quanto aos dados mais globais, a dívida pública aumentou para 92,7% do PIB na zona euro, face aos 91,9% do primeiro trimestre, e 87% no total dos 28 países da União Europeia, que comparam com os 86% do final de março. Ainda segundo o Eurostat, no final do segundo trimestre, os títulos de dívida representavam 79,3% da dívida pública na zona euro, os empréstimos 17,9% e 2,8% eram referentes a moeda e depósitos.

O gabinete de estatísticas publicou ainda os dados dos empréstimos intragovernamentais (referentes a ajuda financeira entre Estados-membros), estimando que esses empréstimos eram de 238,540 mil milhões de euros ou 2,4% do PIB na zona euro no final do segundo trimestre. Na União Europeia, o valor era de 244,0 mil milhões de euros ou de 1,8% do PIB. Em Portugal, os empréstimos governamentais valiam 0,6% do PIB no final de junho.