O preço do metro quadrado das frações autónomas habitacionais em Macau aumentou 23,7% nos primeiros nove meses deste ano, comparativamente ao mesmo período de 2013.

De acordo com os dados disponíveis no portal dos Serviços de Finanças de Macau, que apresentam os valores tendo em consideração a declaração do imposto de selo, o preço médio do metro quadrado em Macau atingiu nos primeiros nove meses do ano 100.618 patacas (10.600 euros), contra 81.337 patacas (8.133 euros) de média entre janeiro e setembro de 2013.

Ao mesmo tempo foi registada uma queda de 33,5% na venda de casas, com apenas 5.904 unidades transacionadas entre janeiro e setembro deste ano contra 8.873 unidades no mesmo período do ano passado.

A ilha de Coloane continua a ser o ponto da cidade onde o preço do metro quadrado é mais elevado tendo, no período em análise, aumentado 20,58% para 124.508 patacas (12.450 euros).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na comparação mensal, ou seja, entre setembro de 2013 e o mesmo mês deste ano, o metro quadrado registou uma subida de 29,6% para 97.386 patacas (9.738 euros).

Já o número de frações transacionadas caiu 23% entre setembro do ano passado e o mesmo mês deste ano para 461 unidades.

Face ao mesmo mês do ano passado, o preço médio do metro quadrado na ilha de Coloane subiu 46,5% para 137.052 patacas (13.700 euros), na ilha da Taipa cresceu 49% para 111.677 patacas (11.167 euros) e na península de Macau 21,5% para 89.304 patacas (8.930 euros).

A habitação, quer para compra quer para arrendamento, é um dos principais problemas da sociedade de Macau que, devido à elevada procura gerada após a concessão de novas licenças de jogo e ao aumento da população residente, fez disparar os preços.