Todos os anos surgem expressões, palavras e siglas que correm o mundo e fixam-se no nosso vocabulário corrente. Muitas nem têm tradução e algumas já estão nos dicionários de português. A Bustle escolheu as 16 palavras ou expressões mais em 2014, o Observador selecionou aquelas que não pode mesmo esquecer.

  • Basic: Segundo o Urban Dictionary, “basic” é um “adjetivo usado para descrever alguma coisa que envolve um comportamento obscenamente óbvio”. De acordo com a New York Magazine, é utilizado muitas vezes como um insulto. Alguém “basic” (básico, em português) é alguém pouco interessante.
  • Binge-watch: Ver, de forma compulsiva, uma série televisiva, em vez do tradicional episódio semanal separadamente. A Netflix e a Internet têm a sua quarta parte de responsabilidade no surgimento desta expressão.
  • Conscious uncoupling: o dicionário de Oxford define esta expressão, tornada famosa por Gwyneth Paltrow, como “uma abordagem ao fim de uma relação amorosa que dá relevância à aceitação mútua das responsabilidades”.
  • Clickbait: Uma expressão utilizada para se referir ao título de um tipo determinado de conteúdos na internet cujo principal objetivo é ser clicado.
  • Normcore: Uma tendência da moda no qual as pessoas vestem roupas comuns. Sem estilo personalizado, roupa de uma só cor.
  • Shelfie: Em vez de um auto-retrato, a já famosa selfie, uma foto à sua estante de livros. Menos egocêntrico?
  • Vape: Esta palavra não é nova, mas o dicionário de Oxford nomeou-a como palavra do ano. Significa “inalar e exalar o vapor produzido por um cigarro eletrónico ou dispositivo semelhante”.