O Presidente russo, Vladimir Putin, defendeu nesta sexta-feira o rearmamento como meio para conservar a paridade nuclear com os Estados Unidos e responder às pressões externas, apesar da crise económica que o país atravessa. “Está a realizar-se com êxito o programa de rearmamento do Exército e das Forças Armadas, incluindo o reforço do sistema de defesa espacial e do poderio nuclear. Isto é garantia de paridade global”, disse, citado pelas agências locais.

Putin, que proferiu estas afirmações por ocasião de um concerto dedicado ao Dia do Defensor da Pátria, que se assinala a 23 de fevereiro, sublinhou que, “de qualquer maneira, os planos de rearmamento serão completados”. “Ninguém deve ter a ilusão de que é possível ter supremacia militar sobre a Rússia, exercer sobre ela algum tipo de pressão. Teremos sempre uma resposta adequada para tais aventuras”, sublinhou.

Quando se aproxima o 70.º aniversário da vitória sobre a Alemanha nazi, que na Rússia se celebrará a 09 de maio, o chefe de Estado russo recordou que o Exército Vermelho não só derrotou as forças hitlerianas, como libertou a Europa e derrotou os japoneses no Extremo Oriente. O orçamento da Defesa e dos programas sociais serão os únicos que não sofrerão cortes no âmbito do plano de combate à crise aprovado para enfrentar a recessão prognosticada pelo próprio Governo e pelo Banco Mundial.