Sim, o título do artigo é inspirado na visita de Jorge Jesus a uma exposição de Paula Rego, que usou como desculpa para comparar o lado artístico das profissões de pintor e treinador. É que, segundo o treinador do Benfica, nem todas as pinceladas do artista são detetadas aos olhos de qualquer um. Por isso, Jesus não viu a Maria, protagonista do quadro, a chorar — o melhor é recordar aqui essa preciosa conferência de imprensa.

Já a cozinheiros, guerreiros do tacho e colher de pau e aventureiros das especiarias mil é habitual vê-los a chorar quando desatam a fatiar e desfazer cebola. Mas, aparentemente, esses dias estão a chegar ao fim, cortesia de Alastair Findlay, um agricultor britânico que diz ter desenvolvido uma variedade de cebola roxa que não faz lacrimejar, conta a BBC.

O britânico diz ter trabalhado durante 20 anos para identificar e reproduzir esta cebola, que considera mais saborosa e que evita choraminguices. Segundo o artigo da BBC, Findlay começou a produzir diferentes versões da cebola roxa nos anos 80, na sua fazenda em Bedfordshire. Descoberta a fórmula certa, mais de 30 anos depois, colhe as cebolas em junho; nos meses seguintes ficam armazenadas, para depois serem sujeitas a um processo de secagem, a que se segue a refrigeração. Agora vende a sua “cebola ideal” a uma rede de supermercados britânica.

Ver o vídeo da reportagem da BBC aqui.