Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Multi-milionário, magnata, filantropo, genuíno e apaixonado pelo que faz – são várias as características que definem Warren Buffet, um dos investidores mais bem sucedidos do mundo. Nascido em 1930, em Ohama, nos Estados Unidos, Buffet já conta com 84 anos e é um exemplo para muitos que querem seguir o mesmo caminho até aos milhões, mas o filantropo tem outras lições para dar. Apesar da idade, continua a encarar a vida com a mesma ligeireza e energia de um adolescente, desvenda numa entrevista à revista americana Time.

O segredo da longevidade do magnata está numa dieta original para a sua idade. Apesar das advertências para uma alimentação mais saudável, Buffet contraria esta tendência e opta por uma dieta de açúcar e sal, e que tem como ingrediente principal a Coca-Cola.

O regime começa logo de manhã: uma ao pequeno-almoço, “duas durante o dia e duas à noite”. Assim, se uma lata de Coca-Cola tem em média 140 calorias, Buffet ingere diariamente pelo menos 700 calorias do refrigerante, o que equivale a quase dois litros e 195 gramas de açúcar. “Se eu comer 2.700 calorias por dia, um quarto disso é Coca-Cola”. Mas e para acompanhar? Desde batatas fritas da UTZ que leva no bolso, uma marca que Buffet diz quase ter comprado, à “taça de gelado de chocolate”: o segredo é variar.

Aconselhada ou não, a dieta de Warren Buffet não o impediu de vencer um cancro da próstata em 2012 e de continuar saudável após a recuperação. Mas a razão aparentemente gulosa tem uma justificação por trás. Buffet explica que, quando viu as taxas de mortalidade nas diferentes faixas etárias, reparou que as crianças de seis anos tinham um índice mais baixo. A partir daí, decidiu voltar comer como se tivesse seis anos outra vez e está a resultar.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR