Os automóveis novos vendidos em 2014 na Europa emitem, em média, menos 2,6% de dióxido de carbono em comparação com 2013 e Portugal está entre os três países onde foram comprados carros mais eficientes.

Segundo um relatório da Agência Europeia do Ambiente (sigla EEA, em inglês), hoje divulgado, os carros novos que entraram no mercado europeu no ano passado deram origem, “em média, a 2,6% menos dióxido de carbono [CO2] do que aqueles vendidos em 2013 e [as emissões estão] quase sete gramas de CO2 por quilómetro abaixo da meta para 2015”.

O nível médio de emissões dos novos carros foi 123,4 gramas de CO2 por quilómetro, já abaixo das 130 gramas fixadas como objetivo para este ano e, desde 2010, quando se iniciou a monitorização com base nas regras atuais, a EEA registou uma descida de 12% das emissões, mas os fabricantes automóveis têm ainda de esforçar-se para chegar à meta de 95 gramas, marcada para 2021.

Em Portugal, em 2014, foram registados 142.245 veículos de passageiros e o país ocupa o terceiro lugar na lista dos Estados membros com compras de carros mais eficientes, com emissões de 109 gramas de CO2 por quilómetro, depois da Holanda e da Grécia.

A mesma posição é ocupada no grupo dos países com elevada proporção de aquisições de carros a gasóleo, com 71% (101.484 registos), depois da Irlanda (74%) e do Luxemburgo (72%), carros que têm aumentado a sua eficiência relativamente àqueles que utilizam a gasolina.

A EEA refere, aliás, que os veículos a gasóleo continuam a ser os mais vendidos na Europa, atingindo 53% do total.

Quanto aos veículos elétricos, uma grande aposta do ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, que os utiliza no seu Ministério, foram adquiridos 196 em Portugal, no ano passado.

As compras de automóveis elétricos na Europa aumentaram 57% o ano passado relativamente a 2013, sendo a França responsável pelo maior número de registos, com mais de 10.700 veículos, seguindo-se a Alemanha e o Reino Unido.

Os registos de carros novos cresceram em quase todos os Estados membros, com exceção para a Áustria, Bélgica e Holanda, atingindo 12,5 milhões, a primeira subida desde 2007, e as emissões de CO2 ficaram abaixo de 130 gramas por quilómetro em 17 dos 28 países da União Europeia.