O ministro da Economia, António Pires de Lima, defendeu ser importante que Portugal “não fique refém da obsessão dos pilotos da TAP”, porque “há um país para além da direção dos sindicatos” da empresa.

“Acho que é muito importante que o país não fique refém da obsessão dos pilotos da TAP”, disse o ministro aos jornalistas, após ter participado na cerimónia de inauguração da ExpoBarrancos – Feira do Presunto e dos Enchidos, a decorrer até domingo naquela vila do distrito de Beja, no Alentejo.

Após ter sido questionado pelos jornalistas sobre a greve dos pilotos da TAP, Pires de Lima escusou-se a falar sobre o assunto e disse: “Estou aqui para valorizar aquilo que é de Barrancos e, francamente, querendo eu valorizar aquilo que é de Barrancos e o que em Barrancos se faz de excecional, vou passar ao lado das obsessões do sindicato dos pilotos da TAP”.

“Aquilo que é importante demonstrar hoje aqui é que há um país para além da direção dos sindicatos da TAP e um concelho, Barrancos, que produz produtos de excecional qualidade”, afirmou o governante.

Os pilotos da TAP marcaram uma greve, entre 01 e 10 de maio, por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999, que lhes dava direito a uma participação no capital da empresa no âmbito da privatização.

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) anunciou, na quinta-feira, que a adesão dos pilotos à greve ascende a 90%, considerando que é um reflexo do sentimento de revolta dos trabalhadores.

No seu discurso na abertura da ExpoBarrancos, o ministro disse que Portugal “está a entrar numa onda de recuperação económica, apesar de ainda ter um desemprego muito alto e de existir um trabalho de consolidação que é preciso fazer”.

A “onda de recuperação económica”, defendeu, “deve-se ao trabalho dos portugueses” e é “mérito das empresas privadas, das autarquias, das forças vivas das regiões e, muitas vezes, de uma economia local, que tem marcado a diferença por acreditar em Portugal e por investir em produtos de altíssima qualidade e que valorizam aquilo que de melhor temos” no país.

A ExpoBarrancos deste ano é dedicada ao cante alentejano e abriu hoje portas, com cerca de 80 expositores e lotação esgotada, para promover o presunto e os enchidos produzidos naquele concelho raiano do distrito de Beja.

A Feira do Presunto e dos Enchidos, organizada pelo município, que a considera “a grande feira da raia”, decorre até domingo no Parque de Feiras e Exposições da vila alentejana, situada perto da fronteira com Espanha.