Uma avioneta com uma faixa “José Sócrates Sempre” sobrevoou este sábado a cadeia de Évora, onde o ex-primeiro-ministro está detido, durante uma iniciativa de solidariedade, em que foram atirados cravos vermelhos para o interior do recinto.

No dia da Liberdade, cerca de 60 apoiantes acompanharam cada uma das passagens da avioneta com palmas e gritando “Sócrates”, depois de terem atirado cravos vermelhos para o interior da prisão e entoado o tema emblemático da revolução “Grândola, vila morena”.

A avioneta sobrevoou a cadeia mais de uma dezena de vezes, durante a tarde, enquanto decorreu a manifestação de solidariedade organizada pelo Movimento Cívico “José Sócrates, Sempre”, já oficialmente formado e que considera o antigo primeiro-ministro “um preso político” e que deveria aguardar julgamento em liberdade.

Acompanhados por um carro de som, os apoiantes deram a volta à prisão e pararam nas traseiras, onde julgam que são ouvidos pelo antigo chefe de Governo socialista, para entoaram um hino de apoio e o tema “Grândola, vila morena”, antes de atirarem a cravos vermelhos para o interior do recinto e alguns deles usavam na lapela a flor que simboliza o 25 de abril.

Na manifestação, que os promotores intitularam “25 de abril – Liberdade em Évora”, foram visíveis três bandeiras do Partido Socialista, uma da Juventude Socialista e outra de Portugal e, entre outras, os apoiantes, oriundos de vários pontos do país, entoaram a frase “Quanto mais a luta aquece, mais força tem o PS”.

“Sócrates amigo, o povo está contigo”, “25 de abril sempre, presos políticos nunca mais” e “Fascismo nunca mais” foram outras das frases entoadas pelos apoiantes, envergando um deles vestuário no qual se podia ler “Je suis Sócrates”.

O empresário José António Pinho, que promoveu uma excursão de apoiantes da Covilhã, que se concentraram, a 25 de janeiro, junto à cadeia de Évora, voltou hoje a marcar presença para manifestar solidariedade ao “amigo”, que “está a ser perseguido”, e para criticar o “julgamento” de José Sócrates na “praça pública”.

“Até prova em contrário, é inocente”, reiterou José Pinho.

José Sócrates está em prisão preventiva, na cadeia de Évora, desde o dia 25 de novembro do ano passado, indiciado por corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais.