Um navio cargueiro americano da empresa Maersk foi apreendido por forças iranianas que dispararam contra o barco, quando ele passava ao largo do Golfo Pérsico. Agora dirige-se a um porto iraniano, de acordo com a Reuters.

O capitão do cargueiro “rejeitou” a ordem e um dos navios iranianos “disparou tiros” de advertência sobre a proa do Maersk Tigris, disse o porta-voz do Pentágono, coronel Steven Warren. O navio mercante “obedeceu então à ordem iraniana e seguiu para águas iranianas perto da ilha Larak”, acrescentou Warren.

O Pentágono já confirmou a informação e explicou que os iranianos abordaram o navio com pavilhão nas ilhas Marshall assim que ele chegou ao território marítimo do Irão. O porta-voz também afirmou que não havia cidadãos americanos a bordo, algo que contraria as notícias da televisão Al-Arabiya que diziam que o navio transportava 34 marinheiros dos Estados Unidos.

A situação está a ser controlada por um avião americano e por uma contratorpedeiro que viajaram até ao local dos confrontos por ordem dos Comandos Centrais das Forças Navais dos Estados Unidos, diz a ABC.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O confronto surgiu numa altura em que estão elevadas as tensões na região, depois de a Arábia Saudita e os seus aliados do Golfo realizarem ataques aéreos no Iémen contra os rebeldes ‘huthi’, apoiados pelo Irão.

Os Estados Unidos estão a fornecer informações secretas e reabastecimento de combustível em voo à coligação liderada pelos sauditas.