Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Cinco mil e quinhentos mortos confirmados, dez mil esperados, milhares de feridos e milhões de pessoas que perderam tudo o que tinham no sismo que abalou o Nepal no último sábado, com uma magnete de 7,8. O país transformou-se num cenário de destruição e vítima de um desastre natural esperado, mas imprevisível. Mas entre os números assombrosos que marcam este desastre, três pessoas devolvem esperança aos nepaleses.

Ainda na tarde desta quinta-feira, um rapaz de quinze anos foi resgatado dos escombros de um prédio cinco dias depois do sismo. Nunca tinha pensado em sobreviver, admitiu o adolescente chamado Pemba Tamang ao The Associated Press, segundo o International Business Times. Alimentou-se da manteiga que ficou enterrada nos escombros do hotel que colapsou.

A notícia do adolescente-milagre surge depois de, ainda esta quinta-feira, uma outra pessoa ter sido retirada dos escombros em Katmandu: Krishna tem trinta anos e só respirou ar livre ao fim de dez horas de manobras de desencarceramento. Estava mais ferida que Pemba, mas estava consciente e conseguia falar, conta um comandante nepalês à Agence France Presse, de acordo com o The Guardian.

Duas vidas que se ergueram das cinzas, uns dias depois de um bebé de quatro meses ter sido resgatado de uma casa destruída pelo sismo. O menino foi encontrado por militares que seguiram o som do choro da criança: a família havia deixado o local por pensar que o bebé não tinha sobrevivido, conta o Daily Mail.

https://twitter.com/PromoteYourAds/status/593394853947408384

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR