A TAP garante que cerca de 85% dos voos previstos até às 13:00 do dia 7 de maio foram realizados, mas o Sindicato dos Pilotos diz que, até às 15:00, apenas se concretizaram 62,6% das operações planeadas.

Em declarações à agência Lusa, uma fonte oficial da TAP afirmou que cerca de 85% dos voos previstos até às 13:00, sétimo dia da greve dos pilotos, foram realizados, uma média superior aos dias anteriores, mas que a transportadora admite que recue para os 70% que têm vindo a registar-se.

“Ainda falta o resto da operação diária”, disse Lúcia Cavaleiro, explicando que “no final da tarde é que começa a segunda onda [de voos] do dia e a diferença relativamente aos fluxos dos outros dias ainda pode levar a que a operação acabe por estabilizar nos 70% dos dias anteriores de greve”.

De acordo com a responsável, até as 13:00 foram realizados 189 dos 221 voos programados, tendo sido cancelados 32.

Relativamente à afluência de passageiros afetados aos balcões da TAP, disse estar a ser já bastante mais menor: “Com a experiência dos dias anteriores já vamos conseguindo gerir melhor as operações”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Numa nota enviada à agência Lusa, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) fala, contudo, em 129 voos planeados até às 15:00, dos quais “seis eram serviços mínimos e 46 foram cancelados”.

“Estes números indicam que, ao contrário do que foi afirmado pelo Governo, o impacto da greve é de 37,4% dos voos cancelados para 62,6% realizados”, sustenta a estrutura sindical.

Quanto à adesão à greve dos pilotos associados do SPAC, acrescenta, situa-se nos 80%, correspondentes a um total de 877 pilotos.

Os pilotos da TAP convocaram uma greve, para o período entre 1 e 10 de maio, por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999, que lhes dava direito a uma participação de até 20 por cento no capital da empresa no âmbito da privatização.