Os obrigacionistas do Montepio acabaram por não se reunir esta sexta-feira em assembleia-geral por falta de quórum, tendo sido, por isso, marcada uma nova reunião para a próxima quarta-feira, informou hoje o banco ao regulador.

“Comunica-se que não chegou a realizar-se a Assembleia Geral de Obrigacionistas, convocada para hoje, por inexistência do quórum necessário para o efeito”, informou hoje a Caixa Económica Montepio Geral em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), acrescentado que a nova assembleia-geral fica marcada para quarta-feira, dia 13 de maio, em Lisboa.

Os participantes na assembleia-geral de obrigacionistas do Montepio vão votar o adiamento do pagamento de juros dos títulos “Rendimento Top” proposto pelo Conselho de Administração liderado por António Tomás Correia.

Nesta reunião magna de obrigacionistas vão ser discutidos dois pontos, que já estavam agendados para a assembleia-geral de hoje: a nomeação e remuneração do representante comum dos obrigacionistas, e a modificação das condições dos créditos dos obrigacionistas com vista a assegurar a elegibilidade da emissão enquanto fundos próprios de nível dois.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

É no segundo item que consta a proposta lançada pela equipa de gestão do Montepio aos obrigacionistas destas emissões para que aceitem eliminar o direito do banco mutualista reembolsar antecipadamente a emissão, bem como deixar de pagar juros nas datas previstas, continuando os mesmos a capitalizar de acordo com a taxa de cupão definida no momento da sua comercialização.

Caso aceitem esta proposta, os obrigacionistas dão a possibilidade de o Montepio, no limite, apenas pagar os juros destes títulos na sua data de vencimento, isto é, em 28 de fevereiro de 2018.