Primeiro eram os metrossexuais que não dispensam um bom creme hidratante antes de dormir, as sobrancelhas arranjadas, as unhas cuidadas. Depois vieram os lumberssexual, exatamente o inverso, de aspeto rude, barba mal cuidada e a camisa xadrez de lenhadores. Agora há uma nova moda masculina, que está a fazer sucesso (sim, por parte deles, mas para agrado delas): os “dad bod”. Ou seja a gordura voltou a ser sinónimo de formosura.

É claro que, como sempre, a origem desta nova tendência veio de figuras públicas. Neste caso, diretamente de Hollywood. Bastou ver Leonardo DiCaprio exibir os pneus na praia, para logo de seguida Adam Sandler fazer o mesmo e até John Hamm. E eis que a moda corre mundo.

Com grandes vantagens para eles. Já não têm de se arrepender daquele hambúrguer às três da manhã, nem do dia em que escaparam ao ginásio por pura preguiça, nem de mais uma cervejinha. É que, afinal, todas estas decisões podem resultar no tal “dad bod”. Que algumas mulheres parecem considerar atraente.

Onde nasceu o “dad bod”?

O estilo “Dad Bod” é descrito pelos pioneiros do termo como o “equilíbrio perfeito” entre uma barriga de cerveja e alguma – muito discreta – atividade física. Os seus adeptos mais famosos são Leonardo DiCaprio, John Hamm ou Adam Sandler.

Segundo Mackenzie Pearson, a estudante universitária que inventou a expressão que entretanto se generalizou, os “dad bod” resultam de uma mistura. A de um homem que “vai ao ginásio ocasionalmente, mas que gosta de beber cerveja aos fins de semana e comer oito fatias de pizza no mesmo dia”. E não há nada de errado nisso? Não: as mulheres consideram a barriguinha saliente e os braços pouco tonificados mais atraentes porque “tornam os homens mais naturais”, justifica a estudante.

Onde está o encanto?

Pearson deu-se conta desta nova tendência enquanto conversava com as amigas de faculdade. E descobriu até algumas vantagens para o mundo feminino. Sendo ela, junto a estes homens as mulheres não se sentem como ao lado de alguns metrossexuais, ou seja, mais feias e menos cuidadas que eles: “Elas gostam de ser a parte mais bonita da fotografia” e assim garantem esse posto. Com um “dad bod” ao lado, nenhuma mulher vai parecer mal demais.

Outro ponto positivo dizem as estudantes que deram nome à tendência: os “dad bod” são “bons de abraçar” e torna-se “melhor cair nos braços deles”.

Uma outra vantagem para as jovens, descrita no The Cut: estes “não enganam ninguém”. Como elas têm “tendência para imaginar o futuro mais depressa” do que eles, já sabem que os “dad bod” mostram sem medo o tipo de corpo que vão ter na meia-idade.

Depois vem o sexo. Dizem as mulheres que preferem homens com barriguinha porque os “dad bod” são sexualmente muito mais eficazes que os outros quando se trata de estímulos. Sim, esses…

Ponto “dad bod”

Mas como é que o homem sabe que chegou ao ponto “dad bod”? A GQ explica: quando, estando de pé, não consegue ver o pénis.

No entanto, e é preciso realçar este ponto, um “dad bod” não é um obeso, tem de ser saudável, e nunca entra em sobrepeso.

Agora a pergunta que elas impõem: será que o mesmo é válido para as mulheres?