Tem um guarda-roupa e cérebro invejáveis, para não falar do marido — um dos homens mais cobiçados de Hollywood. Mas apesar da receita de sucesso, algo parece não estar bem com Amal Clooney que, depois de oito meses de casamento, mostra-se visivelmente mais magra. As fotografias que acompanham dois artigos publicados no Daily Mail, com cerca de três semanas de diferença, não deixam grande margem para dúvidas.

O motivo para a magreza da senhora Clooney permanece desconhecido, embora o tablóide britânico aponte o dedo na direção da pressão. De facto, Amal não cresceu no mundo das celebridades e até há bem pouco era apenas reconhecida pela sua performance enquanto advogada na área dos direitos humanos — aos 37 anos de vida, ninguém lhe pode negar a carreira de sucesso.

A exposição mediática de que era — e é — alvo mudou consideravelmente, quando os rumores de que estaria noiva de George Clooney começaram a circular. Acentuou-se, depois, com a cerimónia de casamento entre ambos, realizada em setembro último na cidade italiana de Veneza. A festa teve pouco de discreto – desde os preparativos aos convidados, passando ainda pelo vestido de noiva, todos os ângulos estiveram sob escrutínio da imprensa internacional.

O mediatismo talvez esteja, então, na origem da eventual perda de peso de Amal, cuja aparição no início do mês de maio, na companhia do marido e de alguns membros da família próxima, levantou a questão: “O que se passa com Amal?”.

Ainda no final de 2014, Amal foi eleita a pessoa mais fascinante do ano pela jornalista norte-americana Barbara Walters, passando a figurar numa lista que inclui nomes de destaque mundial — como Hillary Clinton, Steve Jobs, Nelson Mandela e Madre Teresa de Calcutá.

A isso acrescenta-se o facto de ela aparecer lado a lado com a rainha Isabel II numa lista compilada pela revista GQ, mas também pela Editorial Intelligence, em finais de setembro e da qual constam as 100 personagens femininas melhor relacionadas do Reino Unido.