O presidente da UEFA, Michel Platini, anunciou esta segunda-feira o seu apoio ao jordano Ali bin Al-Hussein nas eleições da FIFA, acusando de mentiras o atual líder do organismo que tutela o futebol mundial, Joseph Blatter.

“Tenho a íntima convicção de que Ali (…) pode ser um grande presidente da FIFA”, disse Platini, numa entrevista ao jornal francês L’Équipe. Apesar de não ter direito de voto – apenas os presidentes das 209 federações nacionais podem votar -, o francês decidiu dar o seu apoio “a título pessoal”.

Platini lembrou o pedido que fez às federações europeias em 2011 para apoiarem Blatter, defendendo que o fez “na base de uma promessa” que o suíço tinha feito.

“Ele pediu-nos, olhos nos olhos, que o apoiássemos por que este seria o seu último mandato. Tenho a desagradável impressão de me ter envolvido pessoalmente numa mentira”, disse.

Platini acusou ainda Blatter de tentar “manter o seu trono a qualquer custo”.

Blatter, de 79 anos, concorre na sexta-feira a um quinto mandato à frente da FIFA, tendo o príncipe jordano como único rival, depois das desistências do português Luís Figo e do holandês Michael van Praag.