Os chefes da diplomacia americana e iraniana realizaram sábado “intensas” negociações, mas as divergências mantêm-se a um mês da data limite para alcançar um acordo histórico sobre o programa nuclear de Teerão.

John Kerry e Mohammad Javad Zarif “não ultrapassaram as divergências que bloqueiam as negociações nucleares”, declarou o número dois da equipa de negociadores iranianos, no final da reunião.

“Todas as questões foram novamente revistas”, afirmou Abbas Araghchi, citado pelo site da televisão estatal iraniana, acrescentando que “as divergências e as diferenças permanecem”.

O negociador também indicou que a discussão será retomada “na próxima semana, em Viena, ao nível de especialistas”.

Segundo a imprensa iraniana, o retorno à mesa das negociações na capital austríaca ocorrerá na quinta-feira.

John Kerry e Mohammad Javad Zarif estiveram seis horas fechados com as suas delegações e a representante europeia Helga Schmid, num grande hotel na cidade suíça.

Eles mantiveram “um debate completo sobre todos os aspetos” relativos ao programa nuclear, como comentou um alto responsável do Departamento de Estado.

“Estamos empenhados em trabalhar para reduzir as diferenças e para respeitar o calendário que fixámos”, ou seja, alcançar um acordo final dentro de um mês, acrescentou o diplomata americano.

As negociações pretendem alcançar um acordo sobre fiscalização do programa nuclear do Irão, que o ocidente suspeita poder ter objetivos bélicos, mas que Teerão garante ter apenas fins civis e científicos.