A Advertising Standards Authority (ASA) – a entidade britânica que regula os anúncios no Reino Unido – baniu uma publicidade da Yves Saint Laurent que foi publicada na revista Elle. A imagem mostra uma mulher deitada no chão junto a umas cortinas, mas as “pernas muito finas” e a “caixa torácica muito visível e proeminente” desagradou aos leitores da revista e a publicidade foi retirada, explica o The Guardian.

A ASA admite que essa percepção possa ser criada pelos próprios efeitos luminosos, que desviam a atenção do leitor para as pernas e peito da modelo. De qualquer modo, a empresa considerou que a modelo estava abaixo do peso saudável e adjetivou a publicidade de “irresponsável”.

Nem a Yves Saint Laurent nem a revista Elle no Reino Unido se pronunciaram sobre o caso, embora a ASA tenha dito que a marca mostrou não concordar com o parecer da entidade reguladora da publicidade britânica.

A marca francesa já foi acusada no passado de usar modelos “dolorosamente magras”, recorda o The Guardian. Em 2014, iniciou-se uma petição para obrigar a Yves Saint Laurent a mudar o estilo dos anúncios, que teve 50 mil assinaturas.

De acordo com a BBC, a organização de caridade Anorexia and Bulimia Care (ABC) já se pronunciou: o porta-voz diz que espera que a mensagem da ASA tenha sido clara, porque é de louvar a ação de banir a publicidade em causa.

As marcas de roupa e de cosméticos têm estado na mira das instituições de saúde. São acusadas de mostrar imagens irrealistas do corpo feminino que deturpam o conceito de “corpo saudável”.

Ainda este ano, a Yves Saint Laurent viu outra publicidade censurada, recorda o Independent: a campanha do perfume Black Opium foi proibida por dar um cunho glamoroso à utilização da droga.