Pelo menos 51 pessoas morreram no sábado em diversos ataques, bombardeamentos e combates nas zonas Oeste e Norte do Iraque, entre as quais 31 elementos pró-governo, contabilizou a agência noticiosa EFE.

Na província ocidental de Al Anbar, um ataque com quatro carros bomba contra a sede de forças de segurança provocou pelo menos 18 mortos e 25 feridos, enquanto outros 11 militares e milicianos faleceram num atentado suicida, seguido de ataques com um morteiro, na zona de Al Haikal.

Um bombardeamento do exército iraquiano contra posições do autodenominado Estado Islâmico, na zona de Al Bagdadi, provocou oito mortos entre os jihadistas, tendo quatro outros extremistas morrido na sequência de uma explosão de um carro no centro de Faluya.

Na província de Saladino, dois polícias e outros dois membros das milícias pró-governamentais morreram num ataque suicida perpetrado com três carros bomba contra um posto de controlo na zona de Al Hayash.

Por outro lado, seis jihadistas morreram em confrontos com as chamadas Forças de Proteção de Sinyar.

O principal objetivo da atual ofensiva militar em Al Anbar é recuperar Ramadi das mãos dos jihadistas.